Com pênalti no fim, Vasco arranca empate com o Avaí

Um pênalti aos 46 minutos do segundo tempo salvou o Vasco de uma derrota terrível para o Avaí, nesta quarta-feira, em São Januário, no jogo de ida das semifinais da Copa do Brasil. O empate por 1 a 1 não foi nem perto de um bom resultado para os cariocas, que terão de empatar a partir de 2 a 2, na semana que vem, em Florianópolis. Os catarinenses podem até empatar sem gols para avançar à decisão.

AE, Agência Estado

19 de maio de 2011 | 00h10

O resultado manteve uma invencibilidade vascaína, que agora chega a 16 jogos. Por outro lado, porém, o Vasco não vence há cinco jogos - todos empates contra Náutico, Flamengo e Atlético Paranaense (este por duas vezes). "Nossa equipe sufocou, buscou, mas a equipe deles é experiente e soube nos conter. As coisas estavam muito complicadas, mas melhoraram muito com esse gol" comemorou Diego Souza, que converteu o pênalti nos acréscimos.

Bastaram dois minutos para que os donos da casa mostrassem que iriam para cima com tudo. Eder Luís avançou pela direita, rolou para Alecsandro na marca do pênalti, que ajeitou para a finalização de Diego Souza. Marcinho Guerreiro, que falhara na marcação de Eder Luís, se recuperou e salvou de cabeça em cima da linha.

Aos 10 minutos, Felipe arriscou de longa distância e parou em Renan, que espalmou a escanteio. O Avaí respondeu cinco minutos depois, quando Julinho gingou para cima de Allan e chutou forte, sobre o gol vascaíno defendido por Fernando Prass.

O Vasco tinha mais presença ofensiva, buscava o gol, mas pecava no último passe ou nos cruzamentos, que não eram precisos. Os catarinenses, por sua vez, forçavam o jogo em cima de Allan, o volante improvisado de lateral-direito que tomou a posição de titular de Fagner, um lateral de ofício.

Ricardo Gomes não consertou o erro e pagaria por isso. Antes, porém, o Vasco voltou para o segundo tempo a pressionar o adversário e Felipe conduzia bem o time, com passes acurados. Mas os companheiros pecavam nas finalizações. Aos 35 minutos, o castigo pelo lado vulnerável da defesa cruzmaltina. Depois de Ramon errar um passe no meio, o Avaí construiu a jogada, que chegou a Julinho. Mais uma vez ele deixou Allan no chão e chutou no cantinho esquerdo de Fernando Prass.

Quatro minutos depois, lance polêmico na área dos visitantes. Felipe lançou Ramon, que dividiu com o goleiro Renan. O árbitro paulista Wilson Luiz Seneme mandou seguir. Talvez arrependido, ele apitou falta capital de Gustavo Bastos em Elton em jogada morta, aos 46. Diego Souza cobrou com força e empatou.

Ficha Técnica:

Vasco 1 x 1 Avaí

Vasco - Fernando Prass; Allan, Dedé, Anderson Martins (Douglas) e Ramon; Jumar, Fellipe Bastos, Felipe e Diego Souza; Eder Luís (Bernardo) e Alecsandro (Elton). Técnico: Ricardo Gomes.

Avaí - Renan; Bruno Silva, Revson e Gustavo Bastos; Felipe (Robinho), Marcinho Guerreiro, Acleisson, Marquinhos (Gustavo) e Julinho; Marquinhos Gabriel e William (Maurício Alves). Técnico: Silas.

Gols - Julinho, aos 35, e Diego Souza (pênalti), aos 48 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos - Gustavo Bastos e William (Avaí).

Árbitro - Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP).

Renda - R$ 501.960,00.

Público - 15.823 pagantes.

Local - Estádio de São Januário, no Rio de Janeiro (RJ).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa do BrasilVascoAvaí

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.