Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Com pendurados contra Uruguai, seleção pode ter baixas para terça

Brasil tem sete jogadores ameaçados de não encarar o Paraguai

Leandro Silveira, Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

22 de março de 2017 | 11h00

A seleção brasileira corre o risco de entrar em campo bastante desfalcada na próxima terça-feira, quando receberá o Paraguai, em São Paulo, pelas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018. Afinal, dos 23 jogadores à disposição de Tite para o duelo desta quinta-feira, com o Uruguai, sete estão pendurados com um cartão amarelo - no torneio eliminatório, duas advertências deixam o atleta de fora do compromisso seguinte. 

Quatro jogadores são os que correm mais riscos, por serem titulares na partida marcada para o Estádio Centenário, casos do lateral-direito Daniel Alves, do zagueiro Miranda, do volante Paulinho e do meia Renato Augusto. O lateral-esquerdo Filipe Luís, o volante Fernandinho e o meia Giuliano completam a lista. 

Um possível cartão amarelo recebido por eles poderá abrir caminho para nomes como os de Fagner e Thiago Silva receberem uma chance na equipe no duelo com o Paraguai, além de abrir caminho para que jogadores do futebol nacional sejam convocados e componham o grupo da seleção na próxima terça-feira. 

A possibilidade se torna ainda mais real porque o duelo desta quinta em Montevidéu envolve os dois primeiros colocados nas Eliminatórias. "O fato de ser o primeiro e o segundo colocados aumenta a rivalidade. Mas temos experiência para lidar com essa situação", previu o goleiro Alisson, titular do time de Tite, técnico que reiteradas vezes declarou que os jogadores devem estar prontos para quando surgir a oportunidade de defenderem a seleção.

Apesar do risco de perder titulares e ainda mais pelo peso da rivalidade entre Brasil e Uruguai, nenhum jogador vai entrar em campo no Estádio Centenário cogitando a possibilidade de tirar o pé. "Não podemos pensar no cartão. Temos que pensar em fazer o melhor e trazer a vitória. Se tiver que fazer um falta, vamos fazer", avisou Miranda, um dos pendurados da seleção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.