Com poucas mudanças, Santos estreia ante Rio Branco

O Santos estreia no Campeonato Paulista contra o Rio Branco, neste domingo, às 19h30, no estádio do Pacaembu, em São Paulo, com um time pouco mudado em relação ao de 2009. Com a posse de novo presidente, Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro, depois de uma década sob o comando de Marcelo Teixeira, o clube passou por mudanças em todos os setores, mas enfrenta barreiras para fortalecer o elenco de jogadores. Dos poucos reforços contratados, apenas os zagueiros Bruno Rodrigo e Bruno Aguiar devem começar a partida.

SANCHES FILHO, Agencia Estado

17 de janeiro de 2010 | 08h28

Escolhido pela nova diretoria para promover a reformulação no futebol santista, o técnico Dorival Júnior tem pela frente o desafio de defender o vice conquistado por Vágner Mancini no Paulistão do ano passado. Além de ainda não recebido todos os reforços que pediu, ele ainda terá que esperar pelo menos mais uma semana para contar com Giovanni, Marquinhos e Edu Dracena em condições razoáveis.

Até lá, ficará a cargo dos jovens Paulo Henrique Lima e Neymar a responsabilidade de fazer a diferença em campo nas primeiras rodadas do Paulistão. O garoto André, de 20 anos, disputa com o recém-chegado Zé Eduardo a preferência de Dorival Júnior para jogar ao lado de Neymar no ataque, substituindo Kléber Pereira, que não renovou contrato mesmo tendo sido o artilheiro do clube nas duas últimas temporadas.

Ele acredita que apesar de o Rio Branco ter iniciado a preparação mais cedo, o Santos poderá vencer, se compensar a desvantagem com aplicação redobrada. "Todos sabem da importância de se iniciar a competição com um bom resultado. Por isso, acredito numa atuação razoável e na vitória", acrescentou o treinador.

Quanto ao adversário, Dorival afirma conhecer a maioria dos jogadores e ter as informações necessários sobre o Rio Branco. Para evitar uma surpresa logo na sua primeira partida no comando do Santos, não abre mão de armar o time com dois volantes de marcação.

Até agora, de todos os jogadores da posição, o que mais impressionou o treinador foi Rodrigo Mancha. Quanto ao seu companheiro, ele optou por Roberto Brum. Outra peça fundamental do meio de campo no esquema do treinador é Wesley, que volta ao clube mais experiente depois do empréstimo de um ano ao Atlético Paranaense.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPaulistãoSantos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.