Rubens Chiri / São Paulo
Rubens Chiri / São Paulo

Sob olhares do ex-atacante França, São Paulo vira sobre São Bento em jogo-treino

Time tricolor saiu perdendo com os reservas, mas fez 4 a 2 no segundo tempo

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de junho de 2019 | 20h03

Em jogo-treino fechado para os jornalistas, o São Paulo venceu o São Bento por 4 a 2, de virada nesta sexta-feira no CFA Laudo Natel, em Cotia. A partida foi disputada com dois tempos de 50 minutos e teve na torcida a presença do ex-atacante França, quinto maior artilheiro da história do clube tricolor. 

O técnico Cuca optou por começar a partida com os reservas e terminou o primeiro tempo perdendo por 2 a 1. Minho e Zé Roberto marcaram para o time de Sorocaba. O volante Diego descontou. Na etapa final, com os titulares em campo Alexandre Pato, Tchê Tchê e Toró viraram a partida.

O elenco são-paulino está concentrado no CT de Cotia e volta a treinar no sábado, às 10h, com os portões fechados. No domingo, os jogadores receberão folga. Na sexta-feira, França, que marcou 182 gols pelo time tricolor, visitou o clube. O ex-atacante atualmente mora no Japão e acompanhou o jogo-treino.

"Foi legal reencontrar os funcionários do clube e recordar os momentos que vivi pelo São Paulo. Foi assim também quando estive no Morumbi esta semana. O CFA tem uma estrutura fantástica e, com certeza, fortalecerá o time para o segundo semestre", afirmou.

França teve um tempo para conversar com alguns jogadores do atual elenco como Antony, Alexandre Pato, Hernanes, além do técnico Cuca. "Estou sempre na torcida pelo clube, e desejei sorte ao pessoal no retorno do Campeonato Brasileiro", comentou.

O ex-jogador atuou pelo São Paulo na década na virada dos anos 90 para 2000. Ele conquistou o Paulista de 1998 e 2000, além do Torneio Rio-São Paulo de 2001. Do clube tricolor, ele foi para o Bayer Leverkusen, da Alemanha. Quinto maior artilheiro da história, ele só é superado apenas por Serginho Chulapa (242), Gino Orlando (233), Luis Fabiano (212) e Teixeirinha (189).

"O São Paulo estará sempre no meu coração. E guardo com muito carinho todo o apoio que recebi dos torcedores. Mesmo de longe, no Japão, sempre acompanho o clube. E lá também percebo a grandeza do São Paulo, porque os japoneses não esquecem as passagens do Tricolor por lá nos três mundiais", concluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.