Com problemas, Boca faz mistério

O mistério será a arma do técnico Carlos Bianchi, do Boca Juniors, para repetir a façanha do ano passado, quando superou o Palmeiras, em São Paulo, e sagrou-se campeão da Copa Libertadores da América. Desta vez, pelas semifinais da competição sul-americana, o time argentino tem problemas para o jogo desta quarta-feira, às 21h40, no Palestra Itália.O suspense de Bianchi não será por opção técnica e sim pelos desfalques. O treinador está em situação delicada para escalar o ataque. A dupla titular, formada por Guillermo Barros Schelloto e Ramon Delgado - artilheiros do time na competição, com 4 gols cada - está contundida. Além disso, o reserva imediato, Barihjo, que foi o autor de um dos gols da equipe, no empate por 2 a 2 com o Palmeiras, em Buenos Aires, está suspenso.Schelloto viajou com o elenco, mas está fora da partida. Delgado, ausente do primeiro jogo por causa de uma distensão muscular, apresentou boa recuperação e Bianchi aguardará até a hora do confronto para confirmar se contará com o atleta.Outra dúvida é no esquema de jogo que o Boca adotará nesta quarta-feira. Com a volta do volante Battaglia, recuperado de contusão, Bianchi treinou o time com duas formações durante a semana. Está indeciso entre o cauteloso 4-5-1 e o 4-4-2, que teria o ataque formado por Gaitán ou Delgado e Giménez. Com esta formação, Villarreal perderia a posição para Battaglia.Os jogadores do Boca desembarcaram nesta terça-feira à tarde no Aeroporto de Cumbica, ainda sob protesto por causa da atitude dos dirigentes do clube, que não pagaram prêmios atrasados. O direção da equipe argentina prometeu acertar a dívida nas próximas semanas. "Está muito claro que para os dirigentes é conveniente que o Boca seja desclassificado", acusou o colombiano Mauricio Serna, um dos líderes do elenco.

Agencia Estado,

12 de junho de 2001 | 18h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.