Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Com Ramires, Palmeiras passa a ter 12 meio-campistas e avalia redução do elenco

Reforço acirra concorrência pela titularidade enquanto clube empresta atletas pouco utilizados por Felipão

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

16 de julho de 2019 | 04h30

Ao ser apresentado pelo Palmeiras nesta segunda-feira e vestir a camisa de número 18, o meia Ramires propiciou ao clube uma boa notícia e um desafio. O experiente reforço de 32 anos e duas Copas do Mundo no currículo chega para compor um setor bastante concorrido no time e que passa a contar agora com 12 opções para o técnico Luiz Felipe Scolari.

Entre volantes, meias e alas, o Palmeiras tem um grupo vasto de opções no elenco, com uma gama imensa de alternativas para utilizar no rodízio dos jogadores no diferentes compromissos desta temporada. Enquanto pinça a cada partidas as melhores peças para escalar a equipe, tentando manter todos no grupo motivados e prontos, o treinador também trabalha para deixar o elenco mais enxuto.

Atualmente Felipão conta com 32 jogadores. O número ideal na visão do Palmeiras é de até 30 nomes. No ano passado a equipe foi campeã brasileira e semifinalista de duas competições com 28 atletas, número considerado ideal para dar chance de todos jogarem e ainda ter peças de reposição à altura para todas as funções.

Por isso, Ramires se apresenta à equipe durante um momento importante de saídas de atletas e sem ter vaga cativa de titular, mesmo com a experiência longa de dez anos no exterior e com a boa relação com Felipão. Os dois trabalharam juntos na seleção brasileira na Copa de 2014.

"Eu acabei tomando a decisão de vir para o Palmeiras muito pelo Felipão. Tive algumas conversas com ele, e ele me passou muita tranquilidade. O fato de ele já me conhecer, o que eu posso fazer, onde posso ajudar, isso me ajuda bastante", comentou o reforço.

O experiente jogador com passagem pelo Benfica e título da Liga dos Campeões pela Chelsea se vê na necessidade de brigar pela titularidade. Por isso, admite atuar em mais de uma posição no meio, não só como segundo volante, e procura se esforçar para recuperar o ritmo de jogo. A idade e o longo tempo sem atuar regularmente são alguns obstáculos.  

"É difícil dizer que vai ser o Ramires de dez anos atrás. Procuro não fugir das minhas características. A torcida pode esperar empenho, vontade, qualidade e um pouco mais de experiência", afirmou. Ramires disse estar 95% preparado para estrear.

O meia não atua regularmente desde o fim de 2017, quando ainda estava no Jiangsu Suning, da China. No ano passado, o clube deixou o jogador fora das inscrições para os campeonatos locais para tentar negociá-lo com outras equipes. Como nenhuma conversa foi adiante, Ramires quase não atuou e precisou defender a equipe B do clube para manter o ritmo.

ELENCO

Entre os 12 meio-campistas à disposição de Felipão, alguns nomes praticamente não entraram em campo no ano. O volante Jean só fez três partidas pelo Campeonato Paulista, o novato Matheus Fernandes só atuou duas vezes.

O Palmeiras emprestou recentemente o zagueiro Juninho e o meia Guerra para o Bahia para dar rodagem a jogadores pouco utilizados e reduzir o elenco. Quem também pode sair, mesmo por empréstimo, é o lateral Fabiano e o atacante Borja. O colombiano chegou a recusar propostas neste ano vindas do exterior.

Ao todo o clube tem 23 jogadores emprestados para outras equipes. Alguns desses atletas têm se destacado e devem ser aproveitados no próximos ano, como é o caso do atacante Arthur, do Bahia. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.