Com reservas, Atlético perde para o Villa Nova e sofre 1ª derrota no Mineiro

Fora de casa, Galo escala apenas o goleiro Victor dentre os titulares, leva gol de pênalti e cai por 1 a 0

Leandro Silveira, Estadão Conteúdo

25 Janeiro 2018 | 20h38

Com uma atuação ruim, o Atlético-MG sofreu nesta quinta-feira a sua primeira derrota no Campeonato Mineiro. Em Nova Lima, o time sofreu um gol de pênalti no início do segundo tempo e perdeu para o Villa Nova por 1 a 0, em partida válida pela terceira rodada.

+ TEMPO REAL: Confira a narração da partida

+ Veja a tabela do Campeonato Mineiro

A derrota deixou o Atlético com apenas quatro pontos, na quinta posição no Mineiro. Já o Villa Nova, que havia perdido os seus dois primeiros compromissos na competição, somou os três primeiros pontos e atingiu o nono lugar, fora da zona de classificação às quartas de final.

Neste início de temporada, o técnico Oswaldo de Oliveira tem optado por revezar a escalação entre reservas e titulares. E o jogo com o Villa Nova foi o segundo em que o treinador utilizou os suplentes, com exceção do goleiro Victor. E assim como na estreia no Estadual, o time não conseguiu marcar gols, embora naquela oportunidade tenha empatado por 0 a 0 com o Boa. Dessa vez, exibiu falta de entrosamento e dificuldade na criação numa partida disputada em um campo irregular.

Atlético e Villa Nova fizeram um primeiro tempo ruim no Castor Cifuentes. Não faltou pegada aos times, mas isso também levou o duelo a se resumir a disputas na intermediária, a ponto de o lance mais perigoso ter saído apenas nos acréscimos. Foi em uma jogada em que Valdívia acionou Erik na entrada da grande área. O atacante bateu rasteiro, para a defesa tranquila de Renan.

A baixa produção ofensiva dos reservas do Atlético também foi provocada pelo excesso de passes errados, situação que não se alterou no início do segundo tempo, quando o time até passou a ser sufocado pelo Villa Nova. Por duas vezes, inclusive, o torcedor do time de Nova Lima reclamou de pênaltis, ambos em jogadas envolvendo o zagueiro Matheus Mancini.

A arbitragem, contudo, só apontou o pênalti no segundo lance, quando a bola bateu no braço do filho do técnico Vágner Mancini na grande área. Foi o suficiente para o Villa Nova abrir o placar, pois Daniel Morais converteu a cobrança aos sete minutos.

Em desvantagem, o Atlético se lançou com tudo ao ataque e conseguiu ameaçar o Villa Nova quando deixou de apostar em cruzamentos ou lançamentos. Foi assim aos 23 minutos, em uma boa trama, com Carlos fazendo o pivô para Erik, que perdeu a oportunidade ao finalizar por cima da meta adversária.

Só que ao mesmo tempo em que atacava, o Atlético dava mais espaços ao Villa Nova, que teve duas boas chances para "matar" o jogo, em lances com Daniel Morais, que aproveitou um vacilo de Matheus Mancini, e também em um chute de longe em Marzagão.

Preocupado com a situação da sua equipe, Oswaldo resolveu apostar em dois jovens que se destacaram pelo Atlético na Copa São Paulo - Bruno Roberto e Alerrandro - para buscar o empate. Ele esteve próximo de sair em uma finalização de Matheus Mancini da intermediária, que desviou e parou no travessão. Além disso, o time reclamou de um pênalti não marcado em Patric.

Nos minutos finais, até Victor foi para a grande área adversária em cobranças de escanteio para tentar o gol de empate. Mas não foi suficiente para evitar a derrota da equipe em Nova Lima.

O Atlético voltará a jogar no Campeonato Mineiro no domingo, quando vai receber a Patrocinense, no Independência, sendo que Oswaldo deve utilizar a força máxima nesse duelo. No mesmo dia, o Villa Nova visitará o Uberlândia, no Parque do Sabiá.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.