Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Com reservas, Santos tenta frear derrocada no Brasileirão diante do Atlético-MG

Titulares não vão viajar para Minas Gerais para se preparem para enfrentar o Palmeiras, sábado, na final da Libertadores

Leandro Silveira, O Estado de S.Paulo

26 de janeiro de 2021 | 05h02

Pouco mais de 48 horas depois de sofrer uma improvável derrota de virada por 4 a 3 para o Goiás, o Santos volta a campo para tentar se reabilitar no Campeonato Brasileiro, mas com uma formação bastante diferente. Nesta terça-feira, às 20 horas, encara o Atlético-MG, no Mineirão, em duelo adiado da 28.ª rodada, com um time formado por reservas.

O tropeço diante do Goiás foi o segundo consecutivo do Santos no Brasileirão, mas não alterou os planos de Cuca. Se o duelo do último domingo era encarado como o último teste dos titulares para a decisão da Copa Libertadores, sábado, diante do Palmeiras, restará aos suplentes a missão de recuperar o time no torneio.

O Santos, afinal, perdeu os últimos dois jogos, além de só ter vencido dois dos últimos oito duelos, com quatro derrotas. E parou nos 45 pontos, na décima colocação. Assim, precisará pontuar em Belo Horizonte, sob o risco de se distanciar ainda mais da briga por uma vaga na próxima Libertadores - o Grêmio é sexto, com 51 - ou ter torcer para a ampliação do G6 se não vencer a final de sábado para voltar a disputar o torneio continental.

Cuca até perdeu um jogador por suspensão para o confronto, o zagueiro Luan Peres, mas ele já não atuaria em Belo Horizonte, assim como os demais titulares na derrota para o Goiás. Uma exceção é o goleiro John. Como se recuperou recentemente do coronavírus, fez a sua volta ao time no domingo, foi relacionado por Cuca e deverá atuar no Mineirão em busca de mais ritmo de jogo para a decisão.  

Diante do Atlético-MG, os reservas buscarão mostrar a Cuca que podem ser úteis na decisão e na sequência do Brasileirão. Mas os resultados até agora não vem sendo bons. Nas últimas semanas com o maior foco na Libertadores, eles vêm sendo escalados e o time tem tropeçado longe de casa, com exceção da vitória no clássico com o São Paulo. De resto, nos compromissos mais recentes, o time perdeu para Fortaleza, Vasco e Flamengo quando acionou os suplentes.

A partida no Mineirão será especial para os santistas pelo reencontro com o técnico Jorge Sampaoli. Foi o argentino quem conduziu o time ao vice-campeonato nacional na temporada 2019. Mas com vários desentendimentos com o então presidente José Carlos Peres e sem os recursos para contratar os jogadores que desejava, optou por deixar o clube.

No primeiro turno, o Santos venceu o Atlético-MG na Vila Belmiro por 3 a 1, em um dos triunfos mais comemorados pela equipe, mostrando que a saída de Sampaoli ainda deixou resquícios. Agora, às vésperas de decidir o torneio para o qual se classificou sob o comando do treinador, a missão é ainda mais complicada. E a tarefa está entregue aos suplentes. 

Com apenas um ponto somado nos dois jogos em que fez como visitante na última semana, o Atlético-MG perdeu terreno na briga pelo título. Para voltar a sonhar com a taça, aposta na sua força como mandante.

O resultado do confronto pode ser determinante sobre qual meta o time vai mirar nos últimos seis compromissos no Brasileirão. Afinal, em quarto lugar, com 54 pontos, pode diminuir a distância para o líder Internacional para cinco em caso de vitória. Mas um tropeço o afastará de vez da disputa pela ponta, além de colocar o seu posto no G4 sob ameaça.

Nessa gangorra, o Atlético-MG confia no seu desempenho no Mineirão. Lá, tem o melhor aproveitamento entre os 20 participantes do Brasileirão, de 80%, com 11 vitórias, 3 empates e 1 derrota. E além de receber o Santos nesta terça, vai enfrentar o Fortaleza no estádio no domingo.

Ganhar duas seguidas pode ser fundamental para o Atlético-MG recuperar a confiança após a derrota por 3 a 2 para o Vasco, em São Januário, no sábado. Foi só a primeira derrota nos últimos cinco compromissos. Mas no mesmo período o time ganhou apenas duas vezes, insuficiente para arrancar na briga pela liderança.

"É um jogo difícil, a gente tem que buscar o ritmo que a gente impõe dentro de casa. A gente não pode mais perder pontos. A gente ainda acredita muito no título e é isso que vamos buscar", afirmou o volante Jair.

Além da necessidade de se recuperar, o Atlético-MG entrará em campo sob clima de cobrança da torcida. Alguns membros da organizada Galoucura protestaram contra o momento da equipe na sede administrativa do clube na segunda-feira, exibindo uma faixa com a inscrição: "Muito investimento, pouco futebol".

Mesmo com a derrota para o Vasco, o técnico Jorge Sampaoli deve manter a base do time que atuou no sábado para o duelo com o Santos. Mas uma novidade deve ser o retorno do zagueiro Réver, substituído no intervalo do empate contra o Grêmio por uma indisposição, não sendo aproveitado em São Januário. E tentará melhorar o desempenho de uma defesa que já foi vazada 41 vezes. 

FICHA TÉCNICA:

ATLÉTICO-MG x SANTOS

ATLÉTICO-MG - Everson; Guga, Junior Alonso, Gabriel e Guilherme Arana; Alan, Jair e Hyoran; Savarino, Eduardo Vargas e Keno. Técnico: Jorge Sampaoli.

SANTOS -  John; Madson, Laércio, Alex e Wagner Leonardo; Vinicius Balieiro, Guilherme Nunes, Lucas Lourenço e Jean Mota; Arthur Gomes e Bruno Marques. Técnico: Cuca.

ÁRBITRO - Paulo Roberto Alves Junior (PR).

HORÁRIO - 20 horas.

LOCAL - Mineirão, em Belo Horizonte (MG). 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.