Com reservas, São Paulo arranca empate com o Atlético-PR

Em jogo com arbitragem confusa e reclamação de Muricy Ramalho, time tricolor conquista primeiro ponto

Tercio David, estadao.com.br

18 de maio de 2008 | 18h06

Com um time totalmente formado por reservas, o São Paulo conquistou o seu primeiro ponto no Brasileirão diante de um experiente, mas pressionado pela torcida, Atlético Paranaense, após um empate por 1 a 1, em plena Arena da Baixada, neste domingo. Com o resultado, o time paranaense chegou a quatro pontos na tabela. Veja também:  Ouça os gols da partida, pela rádio Eldorado/ESPN Classificação Resultados / CalendárioO São Paulo ainda poderia ter saído com a vitória, caso estivesse com a pontaria mais afiada - o time acertou duas vezes a trave. "O empate foi importante. Mas para o São Paulo sempre é melhor vencer", avaliou o técnico são-paulino Muricy Ramalho, que deixou o campo reclamando da arbitragem confusa.  Na próxima rodada, o São Paulo recebe o Coritiba, no domingo (25). No mesmo dia, o Atlético Paranaense enfrenta o Atlético Mineiro, novamente na Arena da Baixada. Antes, o São Paulo enfrenta o Fluminense, pela Libertadores, podendo até mesmo empatar no Maracanã para avançar às semifinais da competição. O JOGOA falta de experiência do time do São Paulo ficou evidente. O time foi completamente dominado pelo Atlético nos primeiros minutos, principalmente porque a equipe paulista não conseguiu manter a bola em seu campo de ataque. Apesar de estar cheio de estreantes, quem falhou no lance do primeiro gol foi um dos jogadores mais experientes. Aos 14, Nei bateu escanteio e Danilo, na primeira trave, ganhou do goleiro Bosco pelo alto para desviar de cabeça e fazer 1 a 0. Após o gol, a coisa se inverteu, e foi o São Paulo quem passou a pressionar a defesa do Atlético, chegando a perder algumas boas chances de empatar ainda no primeiro tempo. Recuado, o time paranaense passou a jogar nos contra-ataques.  Atlético-PR1Vinícius; Leandro    , Danilo, Alex Fraga; Nei, Alan Bahia    , Valência (Zé Antonio), Netinho e Léo Medeiros     (Kaio); Marcelo Ramos e Pedro Oldoni (Rogerinho). Técnico: Ney Franco. São Paulo1Bosco; Bruno, Juninho e Aislan    ; Éder, Wellington (Rafael    ), Joilson, Júnior e Alex Cazumba; Éder Luís (Sergio Motta) e Borges.Técnico: Muricy Ramalho. Gols: Danilo, aos 14 minutos do primeiro tempo. Eder Luís, aos 34 minutos do segundo tempo.Árbitro: Djalma José Beltrami (Fifa-RJ).Renda: Não disponívelPúblico: 21.560 totalEstádio: Arena da Baixada, em Curitiba.No segundo tempo, o São Paulo continuou insistindo e poderia ter empatado logo aos 4, quando Éder Luís recebeu livre na área, se livrou do goleiro Vinícius e bateu à direita do gol vazio. O São Paulo ainda chegou perto de empatar outras duas vezes, numa cobrança de falta de Juninho, que foi parar no travessão, e num chute de Rafael, que bateu na trave direita de Vinícius. Depois de dominar todo o segundo tempo, finalmente o São Paulo conseguiu o empate. Aos 34, Alex Cazumba fez grande passe para Júnior, que avançou até a linha de fundo e cruzou rasteiro para Eder Luís, que bateu seco, no contrapé de Vinicius, para marcar o seu primeiro gol com a camisa são-paulina. CONFUSÕESO lance mais discutido do jogo aconteceu aos 13 da segunda etapa. Alex Cazumba recebeu na área e caiu na dividida com Nei. Em um primeiro momento, o árbitro Djalma José Beltrami marcou pênalti para o São Paulo, mas depois, atendendo a uma indicação equivocada do auxiliar, marcou um impedimento do são-paulino na origem da jogada. A confusão da arbitragem durou até os últimos momentos do jogo. Já nos descontos, Djalma Beltrami expulsou o zagueiro Aislan por causa de um carrinho desnecessário em Kaio. Para Muricy, ouve exagero. "Não é possível, ele [árbitro] deu falta num lance que não houve nada e ainda expulsou o menino", reclamou o treinador na saída do gramado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.