Com ressalvas, Blatter admite uso de vídeos em jogos

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, admitiu pela primeira vez a possibilidade de usar vídeos para ajudar a arbitragem em jogos de futebol. O dirigente, porém, restringiu a utilização da tecnologia somente para definir se uma bola cruzou ou não a linha do gol.

AE, Agencia Estado

24 de janeiro de 2010 | 18h57

"Eu não sou totalmente contra a arbitragem eletrônica. Mas apenas quando uma tecnologia, que permita verificar se a bola cruzou a linha do gol, esteja pronta para ser provada", afirmou ao jornal suíço Sonntagsblick.

A declaração apresenta uma mudança de avaliação do dirigente, que sempre se mostrou avesso ao uso de tecnologias no futebol. A própria Fifa rejeitou, em dezembro, uma proposta para liberar o uso do vídeo em lances polêmicos.

O presidente da Fifa informou que International Football Association Board vai discutir o assunto em março. A entidade reúne federações europeias com o objetivo de zelar pelas regras do futebol.

No entanto, Blatter deixou claro que a possível introdução do vídeo nas partidas só será efetivada depois da Copa do Mundo da África do Sul. "Esse dispositivo não estará pronto para a Copa. Não faremos qualquer tipo de experiências durante essa competição", avisou o suíço, que pretende concorrer ao terceiro mandato como presidente da Fifa, no segundo semestre deste ano.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFifaJoseph Blattervídeo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.