Attila Kisbenedek/AFP
Attila Kisbenedek/AFP

Com restrições, torcedores voltam aos estádios na Hungria

Fãs deverão sentar em um espaço de quatro cadeiras de um lugar para o outro, dentre outras recomendações

AFP, O Estado de S.Paulo

29 de maio de 2020 | 08h20

Os torcedores poderão voltar aos estádios de futebol da Hungria nesta sexta-feira, embora com restrições de capacidade, em um importante primeiro passo no esporte europeu, onde as ligas estão sendo retomadas com portões fechados. Os espectadores serão distribuídos no local para que não ocupem assentos com quatro espaços de diferença, com pelo menos uma fila horizontal de separação.

"Os clubes que organizam as partidas devem garantir que o distanciamento social nas arquibancadas seja respeitado, para garantir as condições de controle epidemiológico", alertou a Federação Húngara de Futebol (MLSZ) em um comunicado nesta quinta-feira.

Os torcedores dos modestos Kaposar e ZTE, último e penúltimo respectivamente no campeonato, serão os primeiros a abrir este dispositivo para o duelo entre seus dois times, na sexta-feira no estádio Kaposvar, que geralmente tem capacidade para 7.000 torcedores.

Outros cinco jogos da liga serão disputados no sábado e domingo, incluindo um confronto esperado entre o Ferencvaros de Budapeste, líder do campeonato, e o Puskas FC, clube da cidade natal do primeiro-ministro Viktor Orban, um grande fã de futebol.

Esse duelo será disputado no Pancho Arena, um estádio recente para 3.500 pessoas, localizado próximo à segunda residência de Orban em Felcsut, uma cidade de 1.750 habitantes, localizada a cerca de quarenta quilômetros da capital.

O público nos estádios na Hungria não costuma ser grande, com uma média de 3.000 espectadores por jogo, se não forem contados os jogos realizados em Budapeste, onde os duelos do Ferencvaros conseguem atrair uma multidão maior de torcedores.

A baixa afluência de público aos estádios ultramodernos construídos desde que Viktor Orban chegou ao poder despertou alguns comentários irônicos nas redes sociais nesta quinta-feira. "Já mantemos o distanciamento social muito bem nos estádios", escreveu um usuário da Internet.

A Hungria, que possui 9,8 milhões de habitantes, registrou 3.816 casos de infecção por covid-19 desde o início da pandemia, que causou 509 mortes no país.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolcoronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.