Cristiane Mattos
Cristiane Mattos

Com ritmo de jogo intenso, Cruzeiro bate o Palmeiras no Mineirão

Mineiros encaram partida como se fosse uma final e fazem 2 a 1

LUIZ ANTONIO PRÓSPERI, O Estado de S. Paulo

09 de agosto de 2015 | 18h25

O Palmeiras falhou na sua tentativa de se reabilitar no Campeonato Brasileiro. Depois de perder em casa para o Atlético-PR, foi derrotado pelo Cruzeiro por 2 a 1, neste domingo, em Belo Horizonte. O resultado tira o time paulista da sexta colocação, com 28 pontos, e leva o Cruzeiro ao 11º lugar, com 21 pontos. Os dois times têm encontro marcado pelas oitavas de final pela Copa do Brasil, dia 19.

O Cruzeiro começou o jogo como se estivesse em uma final de campeonato. E o Palmeiras, no ritmo de uma primeira rodada. Avassalador, o time de Minas amassou o adversário explorando muito bem a frágil marcação do rival no setor esquerdo.

Egídio, bom de apoio e fraco na hora de grudar nos atacantes, ficou atordoado com Marinho e Vinicus Araújo partindo para cima. Leandro Almeida, que deveria dar cobertura ao lateral, também não percebeu a tempestade que cairia na sua zona de marcação. Resultado: gol do Cruzeiro.

Gol que nasceu de uma jogada de Vinicius Araújo em cima de Leandro, após uma bola nas costas de Egídio. Ele ganhou do zagueiro e cruzou para Alisson marcar. Palmeirenses reclamaram de falta de Vinicius em Leandro Almeida. O árbitro nem deu bola.

Na frente com um gol antes dos cinco minutos, o Cruzeiro se fez de absoluto no Mineirão. Empurrou ainda mais o adversário a seu campo de defesa, sempre ocupando o terra arrasada no setor esquerdo do Palmeiras. Dali criou algumas dificuldades a Fernando Prass.

Um tanto atordoada, a equipe de Marcelo Oliveira não conseguia avançar ao território dos mineiros. Dudu, bem marcado pelo zagueiro Léo improvisado na lateral-direita, não fluía. Leandro Pereira não se mexia entre os zagueiros. Rafael Marques e Robinho, encarregados de criar, estavam bloqueados.

Para complicar ainda mais a vida do Palmeiras, o volante Amaral, substituto do lesionado Gabriel, girava sem sair do lugar. Atônito, não sabia que função exercer. Não marcava e quando a bola caía aos seus pés não sabia enviar ao seu destino.

Desconectado, o time paulista quase não chegava na zona de gol. Por isso, fez do goleiro Fabio um mero espectador nos 45 minutos. O Cruzeiro, apesar de diminuir o ritmo, ainda teve um pênalti a seu favor - a bola bateu no braço de Victor Ramos -, mas foi desperdiçado por Marinho com boa defesa de Prass.

No segundo tempo, Marcelo Oliveira voltou com duas substituições interessantes. Trocou Amaral por Cleiton Xavier e Leandro Pereira por Alecsandro - uma tentativa de dar mais qualidade na saída de bola e ser mais agressivo no ataque.

As substituições deram certo. O Palmeiras trocou mais passes, saiu do seu campo consciente e passou a incomodar o goleiro Fabio, obrigado a fazer duas boas defesas.

Diante desse novo cenário, o Cruzeiro recuou ainda mais e virou um especulador de contra-ataques. O jogo ficou franco. Mas o gol de empate não saía. Marcelo Oliveira então apelou. Trocou Robinho por Cristaldo. No primeiro lance, o argentino empatou o jogo.

O gol de Cristaldo fez o Cruzeiro sair de seu campo. Luxemburgo colocou o uruguaio Arrascaeta no lugar do atacante Vinicius Araújo em busca de qualidade no último passe. E numa falha da zaga palmeirense, Arrascaeta fez o segundo do time mineiro.

Mais uma vez em desvantagem no placar, o Palmeiras foi com tudo ao ataque. Teve duas chances e não conseguiu. Com a derrota, deixa de entrar no G-4, mas, como consolo, continua na sexta colocação. O Cruzeiro subiu um pouco na tabela, saindo da zona de confusão.

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO 2 x 1 PALMEIRAS

CRUZEIRO - Fábio; Léo, Paulo André, Manoel e Eugenio Mena (Eurico); Willians, Henrique e Fabrício; Alisson, Marinho (Marquinhos) e Vinícius Araújo (De Arrascaeta). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

PALMEIRAS - Fernando Prass; Lucas, Victor Ramos, Leandro Almeida e Egídio; Amaral (Cleiton Xavier), Arouca, Rafael Marques, Robinho (Cristaldo) e Dudu; Leandro Pereira (Alecsandro). Técnico: Marcelo Oliveira.

GOLS - Alisson, aos 4 minutos do primeiro tempo; Cristaldo, aos 29, e De Arrascaeta, aos 36 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Willians, Vinícius Araújo, Manoel e Fabrício (Cruzeiro); Victor Ramos, Egídio e Lucas (Palmeiras).

ÁRBITRO - Wilton Pereira Sampaio (Fifa/GO).

RENDA - R$ 781.710.00.

PÚBLICO - 20.839 pagantes.

LOCAL - Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte (MG).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoCruzeiroPalmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.