Com Robinho, ataque da Copa 2006 volta ao futebol brasileiro

Além do atacante do Santos, Adriano (Flamengo), Ronaldo (Corinthians) e Fred (Fluminense) estão no País

André Rigue, estadao.com.br

29 de janeiro de 2010 | 10h43

Celso Junior/AE - 01/07/2006

Ronaldo, Cafu, Lúcio e Zé Roberto chateados com a derrota para a França nas oitavas da Copa de 2006

SÃO PAULO - O bom filho à casa torna. Uma expressão popular que cai bem para o setor ofensivo da seleção brasileira na Copa do Mundo de 2006. Com o retorno de Robinho ao Santos, todo o ataque da badalada equipe de Carlos Alberto Parreira no Mundial da Alemanha está concentrado no futebol brasileiro.

Além de Robinho, Ronaldo (Corinthians), Adriano (Flamengo) e Fred (Fluminense) formaram o setor ofensivo da seleção de Parreira, que acabou eliminada nas quartas de final após derrota para a França por 1 a 0.

O retorno de Robinho assinala uma característica que tem marcado o futebol brasileiro nos últimos meses: o de retorno de grandes jogadores que estavam em baixa no mercado europeu.

Ronaldo foi o primeiro. Depois de sofrer uma segunda lesão no joelho, o jogador não teve o contrato renovado pelo Milan. Para muitos, o Fenômeno estava acabado. Contudo, ele acertou com o Corinthians e foi o grande nome do futebol brasileiro na última temporada - conquistou os títulos do Paulistão e da Copa do Brasil.

Fred chegou ao Brasil pouco depois de Ronaldo acertar com o Corinthians. Em baixa no Lyon, após anos de titularidade, o jogador foi disputado por Palmeiras, Cruzeiro e Fluminense. Fechou contrato com o tricolor carioca em março do ano passado. Inicialmente, Fred sofreu com contusões, mas no final da temporada embalou e salvou o clube do rebaixamento.

Adriano teve um trajeto parecido com Ronaldo. Após rápida passagem pelo São Paulo e novos problemas em seu retorno à Inter de Milão, o Imperador chegou a anunciar que se aposentaria do futebol. Contudo, ele acertou com o Flamengo, clube do seu coração, e teve uma ótima atuação, que culminou com o título do Campeonato Brasileiro.

Robinho foi o último do ataque a retornar. Após perder espaço no Real Madrid, acabou transferido para o Manchester City, da Inglaterra. Não se adaptou ao futebol inglês e pediu para sair. Revelado pelo Santos, o jogador ignorou a proposta do São Paulo para poder voltar ao clube da Vila por empréstimo até 4 de agosto.

ATAQUE NÃO É UNANIMIDADE

Outros jogadores que estiveram no Mundial de 2006 também voltaram para o País. Zé Roberto passou pelo Santos, logo após a Copa, e jogou a Libertadores 2007. Como não conseguiu conquistar a competição sul-americana, o meia retornou ao futebol da Alemanha. Hoje está no Hamburgo.

O Santos também investiu no volante Emerson. A passagem do jogador, porém, foi melancólica. Tido como a "cereja do bolo" de Vanderlei Luxemburgo no ano passado, ele atuou por apenas três meses, sem demonstrar o mesmo futebol de antes. Acabou dispensado. Atualmente, ele cobra o Santos na Justiça por não ter recebido salários.

O lateral-esquerdo Roberto Carlos, classificado por muitos como o responsável pelo gol francês na Copa de 2006, acertou com o Corinthians. O jogador deixou o Fenerbahce, da Turquia, para disputar a Libertadores ao lado de Ronaldo. Conquistar a competição sul-americana é o sonho do alvinegro paulista no ano de seu centenário.

Outro nome que também deu as caras no futebol brasileiro foi o do meia Ricardinho. Quando atuou na Copa, o jogador defendia o Corinthians. Após o Mundial foi para a Europa, mas não conseguiu sucesso. No ano passado, voltou ao Brasil para defender o Atlético-MG, mas não teve boas atuações.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.