'Com Ronaldo', Flamengo perde para o Botafogo pela Taça Rio

Equipe alvinegra está na final e quer o título; atacante do Milan esteve no Maracanã para ver o time de coração

Sílvio Barsetti, O Estado de S. Paulo

13 de abril de 2008 | 18h59

O Botafogo aproveitou-se do cansaço do Flamengo, venceu o rival por 3 a 0, e garantiu vaga à final da Taça Rio, o segundo turno do Campeonato Carioca. Seu adversário será o Fluminense, classificado no sábado ao superar o Vasco nas cobranças de pênaltis.Nem mesmo a presença de um torcedor especial no Maracanã, o atacante Ronaldo Fenômeno, com a camisa do Flamengo, deu forças ao time de coração, desgastado após viagem a Cuzco, cidade peruana a 3.400 metros acima do nível do mar, onde teve compromisso pela Libertadores na quarta-feira. "Vamos vencer", disse Ronaldo, jogador do Milan, ao chegar ao estádio.Ele está no Rio para tratar de grave lesão de joelho. Ronaldo não levou sorte ao time. "Meu pai me trazia há muitos anos ao Maracanã para ver jogos do Flamengo", comentou, no momento em que se dirigia a um camarote, sem o apoio de muleta. A vitória do Botafogo foi justa, apesar de um erro da arbitragem, ao marcar pênalti inexistente no lance que originou o terceiro gol do Botafogo. Àquela altura, o clube alvinegro dominava o clássico e o Flamengo apenas esboçava timidamente uma reação.O resultado obrigatoriamente levará a decisão do Carioca a dois jogos finais, após o confronto, único, entre Botafogo e Fluminense, no domingo, pelo título do segundo turno. Como o Flamengo ganhou a Taça Guanabara, poderia antecipar o término da competição se vencesse também a Taça Rio.  Flamengo 0 Bruno; Leonardo Moura    , Fábio Luciano, Ronaldo Angelim e Juan; Cristian (Obina), Ibson    , Toró     e Kleberson; Renato Augusto     (Diego Tardelli) e Souza (Marcinho) Técnico: Joel Santana  Botafogo 3 Castillo; Alessandro (Túlio Souza), Renato Silva, André Luís e Triguinho; Túlio, Diguinho, Zé Carlos e Lúcio Flávio     (Fábio); Jorge Henrique     e Wellington Paulista (Leandro Guerreiro) Técnico: Cuca Gols: Wellington Paulista, aos 39 minutos do primeiro tempo; Alessandro, aos 15, e Lúcio Flávio, aos 27 do segundo tempoÁrbitro: Péricles CortezRenda: R$ 916.218,50Público: 43.385 pagantesEstádio: Maracanã, no Rio de JaneiroSob forte calor, os dois times pouco apresentaram no primeiro tempo. Wellington Paulista, de cabeça, abriu o placar num dos raros momentos interessantes dessa etapa. No intervalo, Ronaldo, sempre com o celular acionado, parecia otimista e conversava sorridente. Talvez não imaginasse a supremacia total do Botafogo nos 45 minutos finais. Alessandro ampliou sem marcação, depois de desperdiçar outras duas oportunidades. O Botafogo perdia um gol atrás do outro e o Flamengo não conseguia se organizar. Seus jogadores se preocupavam mais em reclamar da arbitragem, para desespero do técnico Joel Santana, temeroso de que houvesse alguma expulsão. O meia Toró era o mais nervoso e ficou mais irritado ainda quando da marcação do pênalti, num choque casual que teve com Jorge Henrique dentro da área. Lúcio Flávio cobrou bem, sem defesa para Castillo.Ronaldo, ainda falando ao celular, já não sorria como antes e deixou o Maracanã, pouco antes do apito final, sob a gozação de alguns botafoguenses, para quem ele teve uma tarde de pé-frio. "Volte sempre!", chegou a gritar um grupo de torcedores do Botafogo para o pentacampeão mundial. (Colaborou Leonardo Maia)

Tudo o que sabemos sobre:
Estadual do RioBotafogoFlamengo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.