EFE/EPA/Oli Scarff
EFE/EPA/Oli Scarff

Com saída de Aguero do City, Gabriel Jesus espera se tornar 'atacante que faz muitos gols'

Atacante brasileiro faz autocrítica e diz que precisa entrar mais na área para marcar mais vezes

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de abril de 2021 | 09h00

Gabriel Jesus espera que consiga se tornar um 'atacante que faz muitos gols' com a saída de Sergio Aguero do Manchester City, o que ocorrerá no final da atual temporada europeia. Contudo, diversos rumores da imprensa europeia indicam que Guardiola poderia buscar outro centroavante de peso, como Harry Kane ou Erling Haaland

"Eu posso aprender um pouco com ele, mas ele é mais um atacante de fato do que eu, ele fez mais gols do que eu. Ele entra em campo e marca. Ele é mais atacante do que eu. Posso dizer isso porque eu trabalho com ele todos os dias e joguei muito com ele. Quando jogamos juntos, eu faço um gol, ele faz dois. Eu faço dois gols e ele faz três. Eu acho que aprenderei muito nesses próximos anos para me tornar um atacante que faz muitos gols", afirmou Gabriel Jesus em entrevista ao canal de TV Sky Sports.

E como fazer isso? O próprio Jesus dá a resposta, fazendo uma autocrítica. "Às vezes eu não entro na área. É por isso que eu não marco muito porque normalmente os melhores atacantes saem da área para criar e depois entram na área. Eu não. Eu saio da área, crio para meus amigos e espero pelo gol. Às vezes, eu entro e marco, mas eu tenho que colocar na minha cabeça que, quando eu entrar, eu marcarei", opinou.

Jesus costuma ter um papel tático importante no City, com boa movimentação fora da área e ajudando na criação das jogadas. Contudo, mesmo com Aguero ficando fora em boa parte da temporada por conta de uma cirurgia no joelho, o brasileiro não assumiu o papel de referência na área; Guardiola reorganizou o setor ofensivo do time e redistribuiu responsabilidades.

Contudo, com o título inglês perto de ser reconquistado pelo Manchester City, Jesus se dá por satisfeito. "Se formos campeões, não ligo para gols. Eu me importo em comemorar os títulos com meus companheiros no fim da temporada. Eu sei que tenho que marcar para ajudar meu time com gols porque atacantes sobrevivem de gols, mas eu vim aqui para tentar marcar todos os jogos, mas às vezes não é assim", disse o atacante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.