Pedro Chavesce/Fortaleza
Pedro Chavesce/Fortaleza

Com separação momentânea, Rogério Ceni atinge 100 jogos pelo Fortaleza

Treinador, que ficou 47 dias no Cruzeiro, já conquistou três títulos pelo clube cearense

Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo

18 de outubro de 2019 | 16h29

O casamento entre Rogério Ceni e o Fortaleza atinge uma marca significativa neste sábado, quando o time recebe o Grêmio, na Arena Castelão, pelo Campeonato Brasileiro. O treinador vai completar 100 jogos no comando da equipe cearense. O clube vai entregar uma placa comemorativa para homenageá-lo. 

Antes de se tornar centenário, o relacionamento foi desfeito. Em agosto, o treinador se despediu do Fortaleza e rumo para iniciar um trabalho no Cruzeiro. Não deu certo. Foram apenas 47 dias de separação. Rogério Ceni voltava ao clube no final de setembro.

"Gratidão por tudo o que ocorreu aqui. Era o momento de descansar, não queria trabalhar até o final do ano, mas o Marcelo Paz (presidente do Fortaleza) me ligou muitas vezes. Acertei por uma questão de dívida, de estar aqui presente", explicou o treinador.

A relação de 99 jogos rendeu três conquistas. A principal foi o título da Série B do Brasileirão no ano passado. Considerado o maior da história do clube. A campanha foi impressionante, com o Fortaleza sobrando em comparação com os adversários em muitos momentos, e acesso foi garantido com quatro rodadas de antecipação.

Neste ano, Rogério Ceni levantou mais duas taças com o Fortaleza. Em abril, o treinador deu o troco no rival Ceará, venceu os dois jogos da final e ficou com o título do Campeonato Cearense. No mês seguinte superou o Botafogo-PB na decisão e faturou a Copa do Nordeste, outra conquista inédita para o clube

Apesar das conquistas, o treinador admitiu que viveu momentos de preocupação e temeu ser demitido em abril do ano passado, quando foi superado pelo Ceará na decisão do Estadual. A vitória sobre o Guarani, com um gol de Gustavo, o Gustagol, aos 49 minutos do segundo tempo, na estreia da Série B, garantiu o emprego de Rogério Ceni.

"A terceira derrota é sempre cruel, ela muda tudo. Não perdemos três jogos consecutivos. Perdemos duas na final do Campeonato Cearense e apenas uma em sequência no Brasileirão", afirmou Rogério Ceni, em entrevista ao Estado no ano passado.

Em 99 jogos pelo Fortaleza, Rogério Ceni soma 53 vitórias, 18 empates e 28 derrotas, um aproveitamento de 59,5%

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.