Cesar Greco / Palmeiras
Cesar Greco / Palmeiras

Com suspeita de surto de covid-19, Corinthians pode pedir adiamento de clássico com o Palmeiras

Clube aguarda resultados de nova remessa de exames para detectar possíveis casos da doença em funcionários e membros da comissão técnica

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

02 de março de 2021 | 14h03

O Corinthians avalia pedir o adiamento do clássico desta quarta-feira diante do Palmeiras, pelo Campeonato Paulista. O clube alvinegro detectou um possível surto de covid-19 entre funcionários, membros da comissão técnica e dirigentes. Caso essa suspeita se confirme, pretende formalizar à Federação Paulista de Futebol (FPF) o pedido para a partida ser remarcada para outra data por questões de segurança.

Em contato com a reportagem do Estadão, o consultor médico do Corinthians, Joaquim Grava, contou que na parte da tarde o clube deve ter as confirmações se de fato os exames vão trazer o resultado positivo. Alguns funcionários apresentaram sintomas leves, mas novas amostras nos testes PCR foram colhidas para confirmar com mais clareza a situação.

O clube só deve se pronunciar sobre o caso após receber essa nova remessa de exames. A FPF ainda não recebeu o pedido do Corinthians para adiar o clássico. A partida válida pela segunda rodada está marcada para as 19h desta quarta-feira, na Neo Química Arena. O Corinthians estreou pela competição no último domingo, ao empatar sem gols diante do Red Bull Bragantino. Já o Palmeiras, ainda não jogou pelo Estadual de 2021.

O Corinthians tem sido cuidadoso ao tratar desse possível surto porque em janeiro deste ano o clube enfrentou um problema antes de jogo pelo Campeonato Brasileiro. O laboratório apontou que dez casos de coronavírus no elenco e vários atletas não puderam enfrentar o Bahia, em Salvador. Porém, a contraprova foi refeita e todos os que haviam testado positivo apresentaram resultado negativo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.