Vitor Silva - Botafogo / Site Oficial - Flamengo
Vitor Silva - Botafogo / Site Oficial - Flamengo

Com temor sobre segurança e focos diferentes, Botafogo e Fla duelam no Engenhão

Preocupação é de que flamenguistas tentem ir 'infiltrados' na torcida adversária e que isso cause brigas

Leandro Silveira, Estadão Conteúdo

07 de novembro de 2019 | 04h30

Com focos e resultados opostos em seus últimos compromissos, além de preocupações sobre a segurança dos torcedores, Botafogo e Flamengo se enfrentam nesta quinta-feira, a partir das 20 horas, no Engenhão, em duelo válido pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Ao contrário do que foi tradição no futebol do Rio por décadas e ainda ocorre em outros clássicos do Estado, os confrontos desta edição do Brasileirão entre Botafogo e Flamengo estão sendo disputados com limitação de 10% da carga de ingressos para a torcida visitante.

Foi, então, com essa limitação que os flamenguistas precisaram lidar para adquirir as suas entradas. E elas - pouco mais de 3 mil - se esgotaram rapidamente, na última terça-feira, até pela alta demanda. A preocupação das forças de segurança do Rio, no entanto, são de que a presença de rubro-negros no Engenhão não se resuma a esse pequeno contingente.

Com o Flamengo vivendo uma das melhores fases da sua história recente e atraindo com facilidade mais de 50 mil pessoas aos seus jogos no Maracanã, além da promoção de ingressos realizada pela diretoria do clube alvinegro, há o temor de que rubro-negros, ainda que sem trajar camisas do time, comprem ingressos para setores destinados aos botafoguenses, algo que capitalizaria a possibilidade de conflitos nas arquibancadas.

Diante desse cenário, a diretoria do Botafogo mandante pediu para seus torcedores vestirem as cores alvinegras nesta quinta-feira. Além disso, o departamento de marketing lançou a campanha "ninguém torce como a gente". E o último balanço da venda antecipada de ingressos apontava que 16 mil pessoas já haviam garantido presença no Engenhão.

Alheio aos riscos que podem envolver as torcidas dos times, o elenco do Botafogo encara os seus problemas pessoais na briga contra o rebaixamento no Brasileirão, afinal, vem de três derrotas consecutivas, a última delas a goleada sofrida por 4 a 1 para o Santos, no último domingo. E os salários seguem atrasados.

Além disso, considerado um dos destaques do elenco e já convocado por Tite para a seleção brasileira, o lateral-direito Marcinho será desfalque por lesão sofrida contra o Santos. Ele, assim, se junta a uma lista de problemas por lesão que já vinha contando com Gilson, Marcinho, Marcelo Benevenuto e Rodrigo Pimpão

A posição de origem de Marcinho será ocupada por Fernando, enquanto Luiz Fernando deve ocupar a meia, aberto pela direita, função que foi exercida por Marcinho na Vila Belmiro. E no setor deverá ter a companhia de nomes como Cícero, Alex Santana e Leo Valencia, em uma formação bem diferente da que foi goleada no fim de semana e que vai tentar abastecer Diego Souza no comando do ataque.

"Sabemos que o momento não é fácil, é delicado, estamos conscientes que dependemos da gente, estamos empenhados em fazer nosso melhor, continuar trabalhando firme, agora temos um jogo importante com o Flamengo, com nossa torcida, vamos entrar concentrados", afirmou Carli.

Com esses problemas e diante de um rival embalado, o Botafogo pode se apegar ao histórico para acreditar ser possível superar o Flamengo. Afinal, nos últimos oito clássicos que fez contra o rival sendo mandante no Brasileirão, somou quatro vitórias e quatro empates.

A última vez em que perdeu em casa para o Flamengo pelo torneio foi em 2009, no Engenhão, com vitória do rival por 1 a 0, graças ao gol marcado por Adriano. Para os rubro-negros mais supersticiosos, pode ser um bom sinal, pois foi exatamente naquele ano que o time ganhou pela última vez o Brasileirão, algo que parece próximo de se repetir em 2019.

No Flamengo, o cenário não poderia ser melhor. Disparado na liderança do Brasileirão e também sem perder desde a 13ª rodada, o time vê a torcida sonhar com um fim de temporada, com a conquista dos títulos da Copa Libertadores e do Brasileirão.

Além disso, o time estará reforçado para encarar o rival a quem derrotou por 3 a 2 no primeiro turno do Brasileirão. Artilheiro do torneio nacional, Gabriel retorna ao comando do ataque, após cumprir suspensão automática na goleada sobre o Corinthians. E Filipe Luís reassume a lateral esquerda após ser poupado no fim de semana.

O confronto com o Botafogo é o segundo de uma série de quatro duelos que o Flamengo fará no Rio, uma sequência que pode ser importante para minimizar o desgaste provocado por viagens no momento em que a decisão da Libertadores se aproxima e também para que o time siga com a confortável vantagem na liderança do Brasileirão.

Este, porém, será o único confronto no Engenhão, palco de boas lembranças para Bruno Henrique. Afinal, foi lá onde o atacante estreou com a camisa do Flamengo tendo marcado duas vezes em clássico contra o Botafogo. Ele, aliás, tem nove gols em 11 jogos contra os principais rivais cariocas do clube rubro-negro nesta temporada. Jogará, portanto, para ampliar essa marca, mas faz um alerta.

"A vida do Flamengo hoje é uma, a do Botafogo é outra. Mas em clássico isso não existe. O Flamengo vai defender o dele, fazer o que estamos fazendo, e o Botafogo vai tentar fazer o melhor jogo deles. Todos querem ganhar do Flamengo. Dentro do jogo não entra o lado financeiro", afirma.

FICHA TÉCNICA:

BOTAFOGO X FLAMENGO  

BOTAFOGO - Gatito Fernández; Fernando, Gabriel, Joel Carli e Yuri; Cícero, Alex Santana, João Paulo, Leonardo Valencia e Luiz Fernando; Diego Souza. Técnico: Alberto Valentim.

FLAMENGO - Diego Alves, Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luís; Willian Arão, Gerson, Arrascaeta e Everton Ribeiro; Bruno Henrique e Gabriel. Técnico: Jorge Jesus.

ÁRBITRO -  Leandro Pedro Vuaden (RS)

HORÁRIO - 20 horas.

LOCAL - Engenhão, no Rio. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.