Ricardo Duarte/Internacional
Ricardo Duarte/Internacional

Com time misto pela 4ª vez no Brasileirão, Inter recebe o Ceará no Beira-Rio

Estratégia tem deixado muitos torcedores insatisfeitos, uma vez que a equipe completa, neste ano, 40 anos de sua última conquista de Brasileirão

Redação, Estadão Conteúdo

27 de julho de 2019 | 14h19

Já não é segredo para ninguém que o Internacional tem dado prioridade, especialmente nas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro, às copas. E neste sábado contra o Ceará, às 19h no Beira-Rio, em partida válida pela 12ª rodada, a tendência é que o técnico Odair Hellmann opte pela escalação de uma equipe mista pela quarta vez na competição de pontos corridos.

A ideia do treinador é concentrar maiores esforços no jogo da próxima quarta-feira, também em Porto Alegre, na partida de volta das oitavas de final da Copa Libertadores, contra o Nacional do Uruguai - na ida, vitória gaúcha por 1 a 0 em Montevidéu.

Se assim o fizer, Odair vai repetir a estratégia adotada em outras três oportunidades no Brasileirão, nas quais mesclou equipes com reservas e alguns titulares - ou mesmo totalmente suplente -, e o retrospecto nelas não é lá dos melhores. A equipe não venceu nenhuma das partidas, obtendo apenas um empate - contra Grêmio (1 a 1) - e sendo derrotada nas outras duas - Athletico-PR (1 a 0), Chapecoense (2 a 0).

Com 17 pontos neste momento e ocupando o sexto lugar na tabela, o Inter provavelmente estaria encostado nos líderes, Palmeiras e Santos, que têm 26, se tivesse se saído melhor em campo nessas ocasiões. A estratégia tem deixado muitos torcedores insatisfeitos, uma vez que a equipe completa, neste ano, 40 anos de sua última conquista de Brasileirão.

Ainda assim, o vice-presidente do clube, Roberto Melo, defendeu a opção da comissão técnica como a escolha mais racional para lidar com o excesso de jogos em três torneios simultâneos. "É humanamente impossível querer jogar com o mesmo time em três competições. Contra o Palmeiras, na quarta, contra o Nacional, na seguinte, contra o Cruzeiro depois e ainda com os jogos do Brasileiro. Não tem como. Nossas opções têm dado certo e vamos seguir desta maneira", argumentou o dirigente.

Para o jogo deste sábado contra os cearenses, a única ausência obrigatória será a do atacante Rafael Sóbis, que está suspenso e deve ser substituído pelo colombiano Tréllez. Na parte defensiva, Emerson Santos e Roberto, que ainda se recuperam de lesão, são dúvidas. Klaus, Bruno Fuchs e Rodrigo Moledo estão entre as opções para o setor.

Com treino fechado nesta sexta-feira, Odair Hellmann não deu pistas da equipe que vai a campo e não se sabe ainda se o goleiro escalado para este sábado é Marcelo Lomba ou Danilo Fernandes. Tanto na lateral direita como na esquerda, Zeca pode voltar a ser opção após se recuperar de uma lesão na coxa que o tirou do time desde a intertemporada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.