Com time reserva, Santos vai se fechar contra Flamengo

Ainda abalado pela derrota diante do Corinthians, na Vila Belmiro, pelas semifinais da Copa Libertadores, o Santos escala um time só de reservas para enfrentar o Flamengo, neste domingo, às 16 horas, no Engenhão, no Rio de Janeiro, pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro. Até mesmo Arouca, Paulo Henrique Ganso e Borges, que estão voltando de contusões e precisam readquirir ritmo de jogo, ficaram na Baixada Santista para participar da preparação visando a decisão da vaga para as finais da competição continental, na próxima quarta-feira, no Pacaembu.

SANCHES FILHO, Agência Estado

17 de junho de 2012 | 09h15

Pela manhã, o técnico Muricy Ramalho comanda um treinamento para o time principal no CT Rei Pelé e no começo da tarde viaja para o Rio de Janeiro. Se chegar a tempo, ele vai trabalhar à margem do campo, mas é provável que passe a incumbência para o seu auxiliar, Tata, e assista ao jogo em uma das tribunas. "Estamos com um plantel (grupo de jogadores) debilitado demais porque todos os reforços que contratamos para o Campeonato Brasileiro se machucaram", queixou-se o treinador, após o último treino antes do jogo deste domingo. Ele se refere ao lateral-direito Galhardo, ao zagueiro David Braz e ao meia Bernardo, que se contundiram nas duas primeiras rodadas do Brasileirão.

Sem possibilidade sequer de montar um time misto, em nenhum momento Muricy Ramalho falou em vencer no Rio de Janeiro ou de esperança de conseguir a primeira vitória, depois de empatar com Bahia, Sport e Fluminense e perder do São Paulo. A sua preocupação é evitar um desastre contra um adversário forte e que está inteiramente voltado para a competição nacional.

Tanto que, no coletivo da última sexta, Muricy Ramalho armou o time no esquema 4-5-1. Na linha de quatro defensores devem jogar Maranhão, que chegou a ser oferecido como moeda de troca a vários clubes, Bruno Rodrigo, o recém promovido Gustavo Henrique e Emerson Palmieri, que estava encostado no clube. No meio serão três volantes - Ewerton Páscoa, Anderson Carvalho e Gerson Magrão - e dois meias: Crystian (lateral-direito improvisado) e Felipe Anderson. A sua orientação é para que quando o time retomar a bola, Gerson Magrão faça a função de Elano, Crystian se encarregue da armação e Felipe Anderson se movimente como Neymar.

"Meu foco é na quarta-feira (segundo jogo contra o Corinthians, pela Libertadores)", avisou Muricy Ramalho. Ele decidiu que nos dias que antecedem o segundo jogo das semifinais, os titulares vão repousar para repor as energias, concentrar-se mais cedo (provavelmente a partir deste domingo mesmo) e treinar sem forçar. "Não posso correr risco. Neste momento sou obrigado a abrir mão do Brasileiro", disse o técnico.

O técnico lembra que apesar da preocupação em reforçar o elenco para não perder pontos e ficar para trás nas primeiras rodadas do Brasileiro, as contusões atrapalharam. "Tenho dificuldade até para formar o banco de reservas para o jogo de domingo", reclamou. "No ano passado não foi o ideal, mas só tínhamos o Ganso fora na fase final da Libertadores e nas primeiras rodadas do Brasileiro. Agora, está bem pior", concluiu.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoSantos FC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.