Rafael Arbex/Estadão
Rafael Arbex/Estadão

Com time reserva, Palmeiras perde do ameaçado Coritiba

Mesmo atuando em casa, alviverde pouco cria e cai por 2 a 0

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

29 Novembro 2015 | 20h03

O domingo foi um dia para o torcedor do Palmeiras esquecer. O time fez um dos piores jogos da temporada, perdeu em casa para o Coritiba por 2 a 0, um time que luta contra o rebaixamento, e teve o pior público do Allianz Parque registrado em um jogo oficial - 15.037 pagantes. E na última partida antes da decisão da Copa do Brasil, o alviverde chegou ao sexto jogo sem vitórias no Brasileiro.

Vale a ressalva que o Palmeiras entrou com um time reserva - Lucas foi o único titular, mas todos esperavam por ver um time um pouco melhor em campo. A limitação tática e técnica do time palmeirense ontem foi gritante. Como acontece com o time principal, a única jogada era os cruzamentos para a área e na defesa, uma bagunça tática onde o adversário consegue entrar pelo meio da área sem grandes dificuldade.

Pode-se culpar a falta de entrosamento pela má atuação, mas como explicar os excessos de passes errados, a falta de movimentação e o fato de passar os 45 minutos iniciais sem dar um chute com reais chances de gol?

O técnico Marcelo Oliveira trocou Kelvin e Mouche de lado para tentar confundir a marcação e ter alguém para jogar com Alecsandro, entretanto, a alteração teve pouco efeito.

O Coritiba também não fez muito por merecer, mas soube aproveitar a fragilidade da defesa palmeirense para abrir o placar. Aos 23, Negueba ganhou a bola de Egídio e lançou para Juan, que passou no meio de Leandro Almeida e Nathan, que tentaram deixar o meia em impedimento, mas não contavam que Andrei Girotto demorasse para sair.

Livre, Juan ameaçou chutar, deixou Fábio no chão e bateu rasteiro com tranquilidade para colocar os visitantes na frente, no único momento de emoção em todo o primeiro tempo.

Na etapa final, o Palmeiras voltou com a mais vontade e a mesma desorganização tática. O jeito, então, foi apostar nos repetidos cruzamentos para a área. O Coritiba recuou e passou a trabalhar em cima dos erros individuais do adversário e nos contra-ataques.

Marcelo Oliveira fugiu ao seu padrão e colocou Cristaldo no lugar de Andrei. Faltava alguém para fazer a bola chegar neles. Por isso, entrou o garoto Jobson na vaga de Allione para ajudar Juninho na criação. Os garotos, como esperado, pouco acrescentaram. No único lance de qualidade do Palmeiras em toda a partida, Lucas deu um chapéu no marcador, chutou e o goleiro pegou. Aos 48, Henrique Almeida fez o segundo do Coritiba, para sacramentar mais uma decepção palmeirense em casa.  

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS: Fábio; Lucas, Nathan, Leandro Almeida e Egídio; Amaral, Andrei (Cristaldo), Allione (Jobson), Kelvin e Mouche (Juninho); Alecsandro. Técnico: Marcelo Oliveira.

CORITIBA: Wilson; Leandro Silva, Wallisson Maia, Juninho e Carlinhos; João Paulo, Alan Santos (Cáceres), Juan (Thiago Lopes) e Negueba; Kleber (Lúcio Flávio) e Henrique Almeida. Técnico: Pachequinho.

GOLS: Juan, aos 23 do 1º Tempo; Henrique Almeida, aos 48 do 2ºT.

JUIZ: Igor Junio Benevenuto (MG).

CARTÕES AMARELOS: Kelvin, Negueba, João Paulo, Alan Santos, Lucas.

RENDA: R$ 614.729,50.

PÚBLICO: 15.037 pagantes.

LOCAL: Allianz Parque.

Mais conteúdo sobre:
futebol Palmeiras Coritiba Brasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.