Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Com Tite, Jadson vira goleador no Corinthians e supera atacantes

Meia chega a 11 gols e só fica atrás de Ricardo Oliveira na artilharia

O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2015 | 07h00

Com os dois gols marcados neste domingo no clássico contra o Santos, Jadson se isolou ainda mais como artilheiro do Corinthians. O meia chegou a 11 gols no Brasileirão, três a mais do que Vagner Love, e só fica atrás de Ricardo Oliveira (17 gols) entre os goleadores da competição.

Com Tite, o meia virou um intruso entre os atacantes que brigam pela artilharia do Nacional e supera em gols jogadores como Alexandre Pato e Lucas Pratto. Neste domingo, Jadson abriu o placar convertendo o polêmico pênalti cometido por Zeca em Vagner Love. E confirmou a vitória com um belo gol.

Jadson dominou um cruzamento de Elias, teve calma para tirar do zagueiro e fuzilar Vanderlei, comprovando que a principal arma do Corinthians é a força de seu meio-campo. Sem um goleador de referência na área, Jadson, Elias e Renato Augusto têm total liberdade para se movimentar e chegar ao ataque.

Mais do que os gols, Jadson celebrou o fato de o Corinthians ter voltado a vencer um clássico e acabado com o jejum de nove partidas sem bater um rival de São Paulo. O Santos já tinha vencido o Corinthians três vezes em quatro jogos na temporada.

"Estou feliz porque a gente precisava muito de uma vitória contra o Santos depois de quatro jogos sem vencê-los”, afirmou. “Nossa equipe pressionou muito desde o início do jogo e conseguimos manter a posse de bola e criar as chances de gol.”

Como todos os jogadores do Corinthians, Jadson fica irritado com as reclamações e insinuações de que o time é beneficiado pela arbitragem, em especial nos jogos disputados em Itaquera.

“As pessoas têm reclamado da atuação dos árbitros nos nossos jogos. Mas trabalhamos muito, as vitórias não veem à toa. Mas chororô sempre vai existir, não tem o que fazer.”

O Corinthians manteve os cinco pontos de distância para o vice-líder Atlético-MG, a 11 rodadas do fim do Brasileirão. Jadson enalteceu a vantagem em relação ao clube mineiro, mas evita falar em título. Para ele, ainda é muito cedo para dizer quem será o campeão.

“Nossa equipe está fazendo nossa obrigação. Vencemos e fazemos nossa parte. Quem tem de se preocupar com a gente é quem está atras, em segundo e terceiro. Mas vamos continuar com os pés no chão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.