Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Com título, Palmeiras ratifica hegemonia paulista no Brasileirão

Décima conquista do clube confirma superioridade das equipes do estado na competição; últimas 4 taças ficaram em São Paulo

Wilson Baldini Jr., O Estado de S.Paulo

27 de novembro de 2018 | 05h01

O título do Palmeiras, conquistado domingo, em São Januário, ratifica o domínio dos clubes paulistas na história do Campeonato Brasileiro. Das 62 taças distribuídas, desde 1959, (com dois campeões em 1967 e 1968), os times do Estado de São Paulo ficaram com 32 delas, ou seja, mais da metade.

O time de Palestra Itália soma incríveis dez conquistas,, com direito a dois bicampeonatos: 1972-1973 e 1993-1994. O Santos, que na década de 60 levantou cinco troféus consecutivos (de 1961 a 1965), soma oito campeonatos, sendo o último em 2004, com Robinho e Cia.

O Corinthians é heptacampeão. O time de Parque São Jorge é o maior vencedor se contarmos de 1990, ano de sua primeira conquista, para cá. Só neste século, o Alvinegro ficou em primeiro lugar quatro vezes (2005, 2011, 2015 e 2017).

Sem um conquista nacional há uma década, o São Paulo ostenta o tricampeonato obtido em 2006-2007-2008, com a direção de Muricy Ramalho e o talento do goleiro Rogério Ceni.

Os paulistas também possuem a única equipe do interior a se sagrar campeã nacional. Foi o Guarani, de Capitão, Renato, Careca, Zenon e Bozó, que em 1978 desbancou o Palmeiras. 

O Rio perdeu espaço nesta disputa. O Flamengo é o carioca com mais títulos, tendo como destaque a década de 80, quando Zico fazia a diferença para levantar os canecos de 1980, 1982, 1983 e 1987 – ao todo o time tem cinco - faturou em 1992 e 2009 -, mas se considera hexa, já que a CBF indica como campeão de 87 o Sport.

Fluminense e Vasco correm o risco de serem rebaixados mais uma vez este ano, mas cada um já foi o melhor do País por quatro vezes. Já o Botafogo, que teve Garrincha, Didi e Newton Santos, soma em sua história dois campeonatos.

A dupla Gre-Nal há muito está fora da briga pelo Brasileiro. O Inter, que na época de Falcão e Cia. foi três vezes vencedor (1975, 1976 e 1979) ficou perto de quebrar neste ano um tabu de quase quatro décadas sem gritar “é campeão”, mas o time de Odair Hellmann naufragou.

Já o Grêmio não é o “melhor do Brasil” desde 1996, quando bateu a Portuguesa, com direito a gol de Aílton no fim da partida no “aposentado” estádio Olímpico. Os mineiros ficam ainda mais atrás. O Atlético-MG foi campeão em 1971 e nunca mais, apesar dos bons times que formou em 1980, 1987 e 2015. Já seu rival Cruzeiro é dono de quatro conquistas.

O Paraná, fora do eixo de maior apelo financeiro, tem dois títulos: Atlético-PR (2001) e Coritiba (1985). O Bahia, primeiro campeão nacional em 1959, também acumula duas taças. Os pernambucanos se orgulham pelo polêmico título do Sport, em 1987.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.