Alexandre Vidal/Flamengo
Alexandre Vidal/Flamengo

Com todas estrelas à disposição, Flamengo busca embalar diante do Santos

Em caso de vitória, os três pontos podem diminuir distância para o líder São Paulo de forma significativa

Redação, Estadão Conteúdo

13 de dezembro de 2020 | 12h57

Com as principais peças ofensivas à disposição e focado em brigar pelo título do Brasileirão, o Flamengo recebe o Santos, às 16 horas, no Maracanã, com um único propósito: ganhar. A oito pontos de distância do líder São Paulo, um jogo a menos e o confronto direto, os cariocas querem embalar série de vitórias para "voltar à disputa" da taça.

Rogério Ceni promete futebol ofensivo. A meta é sufocar um Santos desfalcado e com a cabeça na Libertadores. Anotar gol logo de início é uma das missões para evitar sufoco no Maracanã.

A dúvida é: como qual formação ofensiva? O problema que Domènec Torrent imaginava contar quando tivesse com todo mundo à disposição, sobrou para Rogério Ceni. Pedro foi contratado em definitivo e Gabriel Barbosa está recuperado de lesão.

Muitos torcedores acreditam ser possível entrar em campo com os goleadores juntos. Mesmo assim, faltariam vagas para tanta gente importante. Bruno Henrique, Arrascaeta, Everton Ribeiro e Gerson disputariam as outras três vagas? O treinador "ganha" o problema no momento em que mais precisa de peças importantes.

Com a lesão de William Arão, o técnico poderia ousar e usar Gerson e Éverton Ribeiro mais na marcação, com Arrascaeta, Bruno Henrique, Pedro e Gabriel formando um quarteto ofensivo na frente. Mas Ceni não deve arriscar a deixar o time tão vulnerável atrás.

A escalação ele deve divulgar apenas momentos antes de a bola rolar no Maracanã. O trio ofensivo é responsável por mais da metade dos gols do Flamengo no ano. Dos 101 gols flamenguistas, 55 foram anotados pelos três atacantes.

Na defesa, Gustavo Henrique compre suspensão após expulsão diante do Botafogo. Léo Pereira e Natan disputam vaga ao lado de Rodrigo Caio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.