Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Com treinos individuais, Valentim recupera o futebol de Borja

Colombiano supera fase ruim com Cuca e soma três gols em quatro jogos

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

02 Novembro 2017 | 07h00

Borja não está sozinho em sua recuperação como principal atacante do Palmeiras. O técnico Alberto Valentim tem realizado treinos individuais, separados do restante do elenco, para o colombiano aperfeiçoar finalizações e posicionamento. Isso acontece, quase sempre nos trabalhos fechados à imprensa. 

+ Notícias do Palmeiras no Estadão

A preocupação do treinador interino é que Borja mantenha seu ponto forte – a finalização dentro da área, o último toque para o gol –, mas que também se encaixe no jeito de jogar do time. “Temos de criar situações para ele. Às vezes, ele vem fazer um pivô, mas precisa ter esse espaço para fazer o gol, perto da área. É ali que ele vai fazer mal para o rival”, afirmou Valentim. 

O tratamento personalizado cuida do lado psicológico do atacante. Depois de ter sido pouco aproveitado pelo técnico Cuca – em 23 jogos, Borja atuou em apenas oito como titular –, o colombiano se sentia desmotivado. Em entrevista à rádio Caracol, admitiu que preferia sair do clube se continuasse a jogar pouco. Depois, ele voltou atrás. 

Borja é tímido e introvertido, não é de participar das brincadeiras do elenco. Nas resenhas, quase sempre fica calado, apenas ouvindo. A comissão técnica avalia que isso dificulta a adaptação ao futebol brasileiro, mas isso pode ser superado. 

Diante do desânimo do atacante, Valentim propôs um recomeço para o jogador mais caro da história do Palmeiras – 70% de seus direitos federativos foram adquiridos por R$ 32,7 milhões. “A partir de agora, vida nova. Esquece o que passou”, disse o treinador em conversa particular com o atleta. 

Por enquanto, a estratégia tem dado certo. Em quatro jogos como titular, foram três gols. Com isso, o atacante já igualou o número de gols marcados na era Cuca. Até os companheiros perceberam a mudança de atitude. “Ele está ajudando muito em campo. A gente quase fez um gol com uma bola roubada por ele”, elogiou Dudu, ontem, comentando o empate por 2 a 2 com o Cruzeiro em casa. 

A ressurreição de Borja esbarra nas inúmeras opções do treinador para montar o elenco. Willian, dono da posição e titular do time na temporada, está recuperado de uma lesão muscular e deverá voltar em breve. O desafio de Valentim será manter a motivação de Borja, caso ele retorne para o banco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.