Reprodução/ Twitter
Reprodução/ Twitter

Com três clubes no G-6, futebol carioca retoma protagonismo nacional

Flamengo, Botafogo e Fluminense chegam à 31ª rodada na zona de classificação à Libertadores

Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

14 Outubro 2016 | 16h22

Depois de figurar nas duas últimas temporadas como mero coadjuvante no Campeonato Brasileiro, o futebol carioca vive um grande momento na atual edição do Brasileirão. Os três clubes que estão na Série A - Flamengo, Botafogo e Fluminense - chegam à 31ª rodada na zona de classificação à Copa Libertadores do próximo ano. De quebra, o Flamengo, um ponto atrás do Palmeiras, é um forte postulante ao título.

A campanha dos cariocas é bem diferente daquelas que se viu nos Brasileiros de 2014 e 2015. No ano passado, o clube mais bem colocado foi o Flamengo, que terminou em 12º lugar, logo à frente do Fluminense. O Vasco acabou rebaixado, enquanto o Botafogo disputou a Série B. Já em 2014, o clube tricolor foi o sexto, e o rubro-negro apenas o décimo - o Botafogo fora rebaixado, e o Vasco disputava a segunda divisão.

Agora, a situação é bem diferente. E o motivo de tamanha evolução em tão curto espaço de tempo é uma incógnita que atinge até mesmo os que estão diretamente envolvidos com o desempenho dos times.

"É uma das questões mais difíceis de eu responder", afirma o técnico do Fluminense, Levir Culpi. "Os clubes não investiram de forma tão forte no futebol. Essa boa fase tem muito do carisma no futebol carioca. Um jogador, quando faz gol por um time carioca, fica muito falado. Não há uma estrutura maravilhosa ou algo assim que seja de ponta, mas são clubes de tradição que são movidos a muita emoção."

Para Jair Ventura, que assumiu o Botafogo após a saída de Ricardo Gomes com a missão de evitar um novo rebaixamento, o segredo da evolução de seu time foi o pé no chão. "Sempre bati na tecla de permanecer na Série A. Olha como são as coisas! Automaticamente, quando nos livramos do rebaixamento, entramos na zona da Libertadores", ponderou.

O Botafogo chegou aos 47 pontos, marca que, segundo os matemáticos, tira qualquer chance de rebaixamento. "Para alguns, eu estava pensando pequeno. Mas não tem como livrar da zona e não subir na tabela. Agora é manter. Sabemos das dificuldades, vai ser difícil, mas vamos dar o máximo para manter nessa situação", continuou o treinador.

Jair comemora o "bom momento" do futebol carioca, mas não quis comentar a situação dos rivais. "É muito bom para todos, e fico feliz. Mas temos que nos preocupar com o nosso. Cada um com seus problemas."

No Flamengo, o foco é o título do Brasileirão. "A gente vem de sequência boa, com só uma derrota no turno. Porém, sei que é muito difícil. Vai acontecer muita coisa. Vamos manter o foco na regularidade. Vamos qualificar o jogo e pensar a cada rodada", disse o técnico Zé Ricardo.

"É uma decisão atrás da outra, e o Palmeiras também tem. Todos os times têm rodadas complicadas. No interno de cada uma, claro, a gente projeta o título. Mas temos de ir passo a passo", ressaltou.

VEJA OS NÚMEROS DOS TIMES CARIOCAS NO BRASILEIRO

FLAMENGO

60 pontos

30 jogos

18 vitórias

6 empates

6 derrotas

42 gols marcados

27 gols sofridos

 

EM CASA

11 vitórias

2 empates

2 derrotas

 

FORA

7 vitórias

4 empates

4 derrotas

 

APROVEITAMENTO

66,6%

FLUMINENSE

46 pontos

30 jogos

13 vitórias

7 empates

10 derrotas

37 gols marcados

32 gols sofridos

 

EM CASA

8 vitórias

3 empates

4 derrotas

 

FORA

5 vitórias

4 empates

6 derrotas

 

APROVEITAMENTO

51,1%

 

BOTAFOGO

47 pontos

30 jogos

14 vitórias

5 empates

11 derrotas

37 gols marcados

33 gols sofridos

 

EM CASA

9 vitórias

3 empates

3 derrotas

 

FORA

5 vitórias

2 empates

8 derrotas

 

APROVEITAMENTO

52,2%

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.