Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Divulgação
Divulgação

Com três de Nenê, Fluminense derrota Figueirense e avança na Copa do Brasil

Equipe carioca tinha perdido a partida de ida, mas se recuperou no Maracanã e está na quarta fase da competição

Felipe Rosa Mendes, O Estado de S.Paulo

25 de agosto de 2020 | 23h22

Em noite inspirada de Nenê, o Fluminense enfrentou menos resistência do que esperava para superar o Figueirense por 3 a 0, nesta terça-feira, no Maracanã, e avançar à quarta fase da Copa do Brasil. O veterano foi o grande destaque da partida ao marcar todos os gols da noite. No jogo de ida, o time catarinense havia vencido por 1 a 0.

Com seus três gols, o meia chegou à marca de seis em apenas quatro partidas disputadas nesta Copa do Brasil. No ano, Nenê soma 15 em 23 jogos em diferentes competições. Nesta terça, ele balançou as redes em cobrança de falta, de pênalti e também em finalização de fora da área, contando com um desvio no meio do caminho.

O Figueirense jogava pelo empate, por ter vencido o jogo de ida, disputado ainda em março, antes da paralisação dos campeonatos causada pela pandemia do novo coronavírus. Mas teve fraca apresentação, com um ataque inoperante e pouca solidez no meio-campo. A equipe de Florianópolis agora se concentrará na disputa da Série B do Campeonato Brasileiro.

O próximo rival do Fluminense na Copa do Brasil será definido por sorteio, em data ainda a ser definida pela CBF.

O JOGO 

Após poupar parte dos titulares no fim de semana, o Fluminense veio com força máxima para o duelo. E desde o apito inicial deixou claro que sua intenção era abafar o time catarinense em busca dos gols necessários para a classificação.

A estratégia deu certo no primeiro tempo. Antes de completar os primeiros 15 minutos de jogo, o Flu abriu o placar. Nenê bateu falta com muita categoria aos 14 e contou com um desvio na barreira para acertar o ângulo, sem dar qualquer chance ao goleiro Sidão.

O gol deixou o Figueirense mais tenso em campo. Nervoso desde o começo, o time tinha dificuldade para armar jogadas, praticamente inofensivo. A bola queimava no pé dos jogadores. A única boa chance aconteceu aos 40, quando Sanchez encheu o pé de longe e exigiu boa defesa de Muriel.

O Flu, mais ofensivo do que no jogo de ida, seguia no ataque. A vitória parcial, por 1 a 0, não servia. Forçava a disputa dos pênaltis. Assim, o time carioca teve duas boas chances para ampliar. Aos 39, Michel Araújo mandou rente ao travessão. E, aos 42, Evanilson ficou cara a cara com Sidão, mas demorou para finalizar e o Figueirense se safou.

O Figueirense voltou mais atento para o segundo tempo. E até ameaçou a defesa tricolor aos 5. Marquinho tabelou pela direita, invadiu a área e bateu em cima de Muriel, que saiu bem do gol e evitou o empate.

Mais eficiente, o Flu só precisou de mais uma investida no ataque para marcar, aos 9. O segundo gol contou com quase todos os elementos do primeiro. A começar pelo autor. Nenê, acertou forte chute de fora da área e, novamente, teve ajuda de desvio da zaga para superar Sidão.

Superior em campo, o time carioca administrava sua vantagem com tranquilidade. O Figueirense oferecia pouco perigo no ataque. Também não se encontrava no meio-campo. Assim, sem precisar arriscar, o Flu chegou ao terceiro gol após uma série de erros da defesa catarinense, sacramentando a vitória.

Yago Felipe sofreu pênalti e Nenê converteu aos 35 minutos, marcando seu terceiro gol na partida, sendo o sexto gol em quatro jogos na competição, selando sua grande noite no Maracanã.  

FICHA TÉCNICA:

FLUMINENSE 3 x 0 FIGUEIRENSE

FLUMINENSE - Muriel; Calegari, Luccas Claro, Nino, Egídio; Yuri (Yago Felipe), Dodi, Nenê; Marcos Paulo (Paulo Henrique Ganso), Michel Araújo (Wellington Silva) e Evanilson (Fred). Técnico: Odair Hellmann.

FIGUEIRENSE - Sidão; Lucas, Alemão, Pereira e Sanchez; Geovane (Lucas Henrique), Elyeser (Paulo Ricardo) e Marquinho (Everton); Keké (Gabriel Lima), Diego Gonçalves e Everton Santos (Pedro Lucas). Técnico: Márcio Coelho.

GOLS - Nenê, aos 14 minutos do primeiro tempo. Nenê, aos 9 e aos 35 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Michel Araújo, Marquinho.

ÁRBITRO - Felipe Fernandes de Lima (MG).

RENDA E PÚBLICO - Jogo sem torcida.

LOCAL - Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ).   

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.