Divulgação
Divulgação

Com um a mais, Botafogo decepciona e fica no empate com a Ponte Preta

Cariocas ficam com vaga na Libertadores ameaçada

Thiago Rabelo, especial para o Estado, Estadão Conteúdo

26 de novembro de 2016 | 22h10

O Botafogo voltou a se complicar na briga por uma vaga na Copa Libertadores. Com um jogador a mais por 53 minutos e em vantagem no placar, o time carioca sofreu o empate e ficou apenas no 1 a 1 com a Ponte Preta, neste sábado, no estádio Luso Brasileiro, no Rio. Foi o quinto jogo sem vitória da equipe, que ainda se mantém no G6 nesta 37.ª e penúltima rodada do Campeonato Brasileiro.

Com 56 pontos, o time alvinegro carioca terá de vencer o Grêmio, no próximo domingo, em Porto Alegre, para não deixar o grupo de classificação para a Libertadores, posição que ostenta desde a 30.ª rodada. Sem risco de rebaixamento ou chance de ir para o principal torneio das Américas, a Ponte Preta está na 10.ª posição, com 50 pontos.

Ciente de que deveria vencer para aliviar a pressão de quatro partidas sem triunfo e sem gol marcado, o Botafogo entrou em campo para vencer e encaminhar a vaga para a Libertadores. Embora o time tenha entrado em campo com três volantes, o técnico Jair Ventura fez uso intenso dos laterais, Victor Luís e Diogo Barbosa, situação que impôs dificuldades para a Ponte Preta.

A primeira tentativa foi pela direita com Victor Luís, em tabela com Camilo. A bola foi interceptada pela defesa campineira. A pressão seguir forte até sair o gol. Aos 16 minutos, Rodrigo Lindoso chutou, a bola desviou em Sassá e enganou o goleiro Aranha: 1 a 0. Foi o 12.º gol do artilheiro alvinegro no Brasileirão. O atacante também quebrou um jejum de 408 minutos sem gol do Botafogo. O último havia sido contra o Santa Cruz, na 32.ª rodada, no dia 19 de outubro.

Apesar do gol sofrido, a Ponte Preta não alterou o comportamento em campo e reforçou a marcação, principalmente em Camilo. Com o meia neutralizado, o jogo ficou mais travado, sem chances de gol, com o time de Campinas (SP) em busca de um contra-ataque.

Aos 37 minutos, a grande chance. Aberto pela esquerda, Clayson fez bela jogada, colocou a bola debaixo das pernas de Renan Fonseca e, dentro da área, driblou Emerson, mas na hora de finalizar perdeu o equilíbrio e chutou errado. Revoltado, o jogador pediu pênalti, ofendeu o árbitro goiano Wilton Pereira Sampaio e foi expulso.

Com um jogador a mais no segundo tempo, o Botafogo não aproveitou a oportunidade e seguiu com a ideia de administrar o confronto. Em um contra-ataque, aos 12 minutos, a postura quase custou caro, quando William Pottker entrou com velocidade na área e foi interceptado por Renan Fonseca na hora da finalização. Na sequência, Rhayner chutou e o goleiro Sidão fez boa defesa.

O gol anunciado veio aos 20 minutos. Após cobrança de falta lateral, Matheus Jesus desviou de letra e William Pottker completou de cabeça: 1 a 1. O empate desestruturou o Botafogo, que sentiu a pressão e passou a cometer erros infantis. Um deles foi aos 25, quando Sassá e Neilton se chocaram e perderam grande chance de marcar o gol da vitória.

Jair Ventura apostou no desespero e lançou todos os atacantes em campo. A pressão não funcionou. Exceto em uma tentativa de Camilo de fora da área, o Botafogo pouco ameaçou o gol de Aranha. Nos minutos finais, quase sofreu a virada. Desesperado, Sidão foi para o ataque, mas sem sucesso. No contra-ataque, Matheus Jesus teve a oportunidade de marcar, mas foi contido por Renan Fonseca, que evitou um resultado ainda mais desastroso para o Botafogo na briga pela Libertadores.

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO 1 x 1 PONTE PRETA

BOTAFOGO - Sidão; Victor Luís, Renan Fonseca, Emerson e Diogo Barbosa; Airton (Vinicius Tanque), Rodrigo Lindoso, Dudu Cearense (Rodrigo Pimpão) e Camilo; Neilton (Gervasio Núñez) e Sassá. Técnico: Jair Ventura.

PONTE PRETA - Aranha; Nino Paraíba, Antônio Carlos, Douglas Grolli (Jefferson) e Breno Lopes; João Vitor, Matheus Jesus e Ravanelli (Zé Roberto); William Pottker, Clayson e Rhayner. Técnico: Eduardo Baptista.

GOLS - Sassá, aos 16 minutos do primeiro tempo; William Pottker, aos 20 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Camilo, Neilton, Airton, Diogo Barbosa e Dudu Cearense (Botafogo); Aranha, João Vitor, Rhayner e Douglas Grolli (Ponte Preta).

CARTÃO VERMELHO - Clayson (Ponte Preta).

ÁRBITRO - Wilton Pereira Sampaio (Fifa/GO).

RENDA - R$ 212.385,00.

PÚBLICO - 11.118 pagantes (12.069 no total).

LOCAL - Estádio Luso Brasileiro, no Rio de Janeiro (RJ).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.