Com um a mais, Gana só empata com a Austrália

A seleção de Gana desperdiçou grande chance de ficar bem próxima de uma vaga nas oitavas de final da Copa do Mundo. Mesmo atuando com um jogador a mais durante boa parte da partida deste sábado, a equipe africana apenas empatou por 1 a 1 com a Austrália, no Estádio Royal Bafokeng, em Rustemburgo, pelo Grupo D.

ITAMAR CARDIN, Agência Estado

19 de junho de 2010 | 13h04

Com o resultado, Gana assumiu a liderança da chave, com quatro pontos, um à frente de Alemanha e Sérvia. Os australianos, por sua vez, somaram seu primeiro ponto no Mundial. Mas, apesar da chance desperdiçada, os africanos precisam apenas de um empate contra a Alemanha, na quarta-feira, para avançar às oitavas. No mesmo dia, a Austrália precisa ganhar dos sérvios e torcer por uma vitória dos ganeses.

Expulso contra a Alemanha, o meia Tim Cahill era o grande desfalque australiano. O técnico Pim Verbeek, por outro lado, tinha o importante reforço do atacante Harry Kewell, um dos principais jogadores da equipe, que se recuperou totalmente de contusão. O destino da partida, no entanto, seria trágico com a Austrália. O jogador do Galatasaray recebeu o cartão vermelho ainda no primeiro tempo, após cometer pênalti. Se a equipe não avançar às oitavas, Cahill e Kewell - os principais jogadores do time - não jogarão juntos neste Mundial.

Na partida realizada em Rustemburgo, a Austrália começou melhor e parecia que venceria sem maiores problemas. Abriu 1 a 0 logo no início, em falha do goleiro Kingson, e possuía o controle do confronto. Mas, aos 24 minutos do primeiro tempo, o panorama mudou após Kewell atuar como goleiro e salvar uma bola com o braço. Foi o segundo pênalti para Gana no Mundial após toque de mão - e a segunda vez que Gyan converteu.

No segundo tempo, os ganeses ensaiaram uma pressão inicial. Caíram de ritmo, no entanto, no decorrer do confronto, neutralizados pela boa marcação australiana. Assim, a partida terminou com um justo empate por 1 a 1.

O JOGO - Precisando da vitória para se manter com boas chances, a Austrália começou o jogo pressionando. E não demorou para que chegasse ao gol em seu primeiro bom ataque na partida, aos 10 minutos, contando com a falha do goleiro adversário. Da intermediária, Bresciano bateu falta e Kingson não conseguiu encaixar, rebatendo para o meio da área. Sozinho, Holman (AZ Alkmaar, da Holanda) completou para as redes.

Em desvantagem, Gana tentou sair para o jogo. Faltava, no entanto, inspiração ofensiva. Asamoah fazia partida discreta e ajudava pouco na armação, deixando os atacantes Ayew e Tagoe isolados nas pontas. Os pequenos lampejos vinham com Gyan, atacante do Rennes que já havia sido o principal destaque contra a Sérvia.

A Austrália controlava a partida com certa tranquilidade, mas um lance ocorrido aos 24 minutos mudou o panorama do confronto. Pela direita, Ayew fez grande jogada e cruzou rasteiro para o zagueiro Mensah bater firme. Mas, antes que a bola entrasse, Kewell cortou com o braço. O atacante australiano foi expulso, o pênalti foi marcado e, na cobrança, Gyan marcou o seu segundo gol no Mundial.

Com um jogador a mais, a seleção ganesa tomou conta do jogo. O gol da virada quase saiu dois minutos depois, quando Tagoe avançou pela esquerda e bateu com perigo, em bola que passou próxima à trave. Outra grande chance veio já aos 41 minutos. Boateng carregou pela direita e finalizou cruzado, rasteiro, exigindo grande defesa do goleiro Schwarzer.

No início do segundo tempo, Gana voltou assustando novamente. Logo aos dois minutos, Asamoah fintou dois marcadores e, de longe, arriscou para fora. No lance seguinte, o próprio Asamoah deu bom passe, Gyan cortou um zagueiro e bateu rasteiro, para a boa defesa de Schwarzer. Acuada, a Austrália pouco chegava ao ataque. E, quando conseguia, apostava em longos cruzamentos - facilmente neutralizados pela defesa adversária.

Se mantinha o controle do jogo, Gana encontrava um sério problema: furar as duas linhas defensivas australianas. Com dificuldade, os africanos apostavam em chutes de fora da área e também pouco assustavam Schwarzer. A equipe só voltou a criar boa chance aos 21 minutos, quando Abeyie fez boa jogada pela direita e bateu cruzado, mas ninguém apareceu para completar.

Com as duas seleções necessitando da vitória, o jogo ficou mais aberto nos minutos seguintes. Gyan recebeu bom passe de Boateng e finalizou de primeira, com perigo, aos 26. A resposta australiana não demorou. Na maior chance da equipe no segundo tempo, Wilkshire recebeu sozinho na área e bateu em cima do goleiro aos 27. No rebote, com o gol aberto, o atacante Kennedy - que havia acabado de entrar - chutou fraco e desperdiçou.

Preocupado com a queda de rendimento de Gana, o técnico Milovan Rajevac colocou o meia Muntari no lugar de Asamoah. O time, no entanto, não engrenou. Criou apenas mais uma boa chance, já aos 44 minutos, após Mensah aproveitar cobrança de falta e cabecear por cima. Ayew ainda tentou de fora da área nos acréscimos, mas Schwarzer fez boa defesa e garantiu o empate.

FICHA TÉCNICA:

Gana 1 x 1 Austrália

Gana - Kingson; Pantsil, Addy, Mensah e Sarpei; Annan, Prince Boateng (Amoah) e Kwadwo Asamoah (Muntari); Ayew, Tagoe (Owusu-Abeyie) e Gyan. Técnico - Milovan Rajevac.

Austrália - Schwarzer; Wilkshire (Rukavytsyia), Moore, Neill e Carney; Culina, Valeri, Holman (Kennedy) e Emerton; Bresciano (Chipperfield) e Kewell. Técnico - Pim Verbeek.

Gols - Holman, aos dez, e Gyan, aos 25 minutos do primeiro tempo.

Árbitro - Roberto Rosetti (ITA).

Cartões amarelos - Addy, Mensah, Annan e Moore.

Cartão vermelho - Kewell.

Público: 34.812 torcedores.

Local - Estádio Royal Bafokeng, em Rustemburgo (África do Sul).

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2010futebolGanaAustrália

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.