Alexandre Vidal/Flamengo
Alexandre Vidal/Flamengo

Com um olho em Lima, Fla enfrenta sede de revanche e longo jejum em Porto Alegre

Último triunfo rubro-negro contra o Grêmio fora de casa foi em 2004, pela Copa do Brasil, no 1 a 0 com gol de Zinho

Redação, Estadão Conteúdo

17 de novembro de 2019 | 12h12

A seis dias do momento mais importante do clube em 38 anos, o Flamengo inegavelmente entrará em campo às 16 horas deste domingo diante do Grêmio, em Porto Alegre, com boa parte de seu pensamento voltado para Lima, onde disputará a final da Copa Libertadores diante do River Plate. O foco só não é total porque a importância deste jogo, válido pela 33.ª rodada do Campeonato Brasileiro, se acentuou na luta para confirmar o título nacional.

Com 78 pontos, 11 à frente do Palmeiras, o segundo colocado, o time carioca havia planejado uma vitória diante do Vasco na última quarta-feira, em jogo antecipado da 34.ª rodada, para enfrentar os gaúchos neste fim de semana com pouca ou nenhuma pressão. Os três pontos diante do rival fariam com que, mesmo sendo derrotado no Sul, o time da Gávea mantivesse uma larga vantagem sobre os paulistas, podendo resolver o título com tranquilidade nos compromissos seguintes.

O empate cedido aos 48 minutos do segundo tempo, porém, colocou a equipe treinada por Jorge Jesus em uma encruzilhada. Agora, caso tropece em Porto Alegre e o Palmeiras consiga vencer seus próximos dois jogos, o time voltará da capital peruana - campeão ou não da Libertadores - com a tarefa de defender sua liderança com unhas e dentes, tendo ainda um confronto direto frente aos comandados de Mano Menezes em São Paulo na 36.ª rodada.

De volta ao time titular neste domingo após três partidas, Arrascaeta reforçou seu desejo de retomar o ritmo de jogo após se recuperar de uma entorse no joelho. O meia aproveitou para reforçar a importância do foco no Brasileirão antes da viagem para Lima. "Temos que pensar em nós, não no Palmeiras. Dependemos só de nós mesmos e vamos com tudo para esse jogo, com pensamento positivo para tentar voltar com os três pontos".

Sobre o adversário deste domingo, a quem o Flamengo atropelou nas semifinais da Libertadores com uma goleada de 5 a 0, e, portanto, deve vir mordido, o uruguaio recomendou cautela. "Não tenho dúvida que o time deles vai se doar muito, virá com tudo a cada dividida. Temos que ir preparados para tentar jogar da mesma forma (que atuamos no último jogo) e tirar proveito dos mínimos detalhes, o que faz a diferença", completou.

Se observar o retrospecto do Flamengo em Porto Alegre nos últimos anos, o uruguaio e seus companheiros terão ainda mais motivo para preocupação. O último triunfo por lá foi em 2004, pela Copa do Brasil. Um 1 a 0 com gol de Zinho.

Pelo Campeonato Brasileiro, o jejum é ainda mais expressivo: os cariocas não vencem no campo do Grêmio desde 1994, quando o meia-atacante Nélio fez o gol da vitória carioca. Também nunca saíram com os três pontos por competição alguma na nova arena, inaugurada no fim de 2012.

As dificuldades para a equipe o português Jorge Jesus tornam-se ainda maiores com os três desfalques certos para o duelo deste domingo. Willian Arão, Gerson e Bruno Henrique receberam o terceiro cartão amarelo na última rodada e ficam de fora. Com isso, Piris da Motta e Diego devem ganhar chance no meio-campo, com os jovens Hugo Moura e Vinícius Souza correndo por fora. Para o lugar de Bruno Henrique, Vitinho e Reinier novamente disputam vaga ao lado de Gabriel.

Com a preocupação de não sobrecarregar ainda mais uma defesa que deu sinais de desgaste físico e tomou cinco gols nos últimos dois jogos, nenhum jogador da primeira linha defensiva tem presença garantida na partida contra os gaúchos. Assim, Rodrigo Caio, Pablo Marí, Rafinha e Filipe Luís aguardam definição para fazer ou não uma escala na Arena do Grêmio antes de ir ao Monumental de Lima.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.