Com um pênalti no final, Flamengo bate o Americano

Juan deixa a sua marca aos 41 minutos do segundo tempo e equipe rubro-negra ganha por 1 a 0 em Campos

Leonardo Maia, Agencia Estado

31 de março de 2009 | 21h51

Foi necessário um pênalti, aos 40 minutos do segundo tempo, para o Flamengo derrotar o Americano por 1 a 0, nesta terça-feira, no estádio Godofredo Cruz, em Campos, pela sétima rodada da Taça Rio. Com o resultado, o time do técnico Cuca chega a 16 pontos e mantém a liderança do Grupo B, mas espera o término da rodada, na quinta, para ver se garante matematicamente a classificação às semifinais sem depender do resultado do clássico contra o Fluminense na última rodada. O Americano, sem pretensões no Campeonato Carioca, continua com oito pontos no Grupo A.

Veja também:

tabela Estadual do Rio - Classificação / Calendário / Resultados

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

O primeiro tempo foi moroso e desinteressante. O Flamengo dominava as ações, atacando principalmente pelo lado esquerdo, com Juan e Kleberson, mas era pouco efetivo e praticamente não finalizou a gol. Aos 12 minutos, Erik Flores tabelou com Leonardo Moura, que cruzou para Ronaldo Angelim cabecear para defesa tranquila de Jéferson.

Dois minutos depois, a melhor chance da partida surgiu de forma inusitada. Ernani cobrou escanteio com efeito e a bola encobriu o goleiro Bruno, saindo por pouco por cima do gol. Quase um gol olímpico. Foi a única oportunidade evidente dos donos da casa, que jogavam com a torcida toda contra em seu próprio estádio.

O Flamengo tentava se impor, mas com Erick Flores fora de posição, jogando mais avançado, a bola não chegava em boas condições para as finalizações de Josiel, que não teve uma chance sequer no primeiro tempo. A chuva que caía sobre a cidade de Campos combinava com o espetáculo triste e de baixa qualidade apresentado por ambas as equipes.

A equipe rubro-negra foi muito mais incisiva no segundo tempo e criou inúmeras oportunidades de abrir o marcador. Mas desperdiçou todas elas.

Leonardo Moura perdeu duas grandes chances consecutivas, frente a frente com o goleiro, aos 18 minutos. Josiel, aos 26 e aos 29, também chutou em cima da defesa duas boas oportunidades. Aos 32, Erick Flores serviu bem Ibson, que também demorou a definir e permitiu a recuperação da defesa.

A retranca campista só foi vencida graças ao pênalti, que surgiu aos 40 minutos. Maxi gingou para cima de Carlão, a bola tocou no braço aberto do defensor e o árbitro anotou a penalidade. Juan bateu no meio do gol e selou a suada vitória flamenguista.

OUTROS JOGOS

Mais três partidas da sétima rodada foram realizadas nesta terça. E numa delas definiu o rebaixamento do Mesquita. O time do subúrbio carioca perdeu fora de casa do Duque de Caxias por 4 a 2 e caiu para a Segunda Divisão.

Em Moça Bonita, o Bangu derrotou o Tigres por 2 a 1 e segue firme na briga por um lugar nas semifinais da Taça Rio. Tem 13 pontos, três atrás do líder Flamengo. E, em Cabo Frio, a Cabofriense venceu o Volta Redonda por 2 a 1.

AMERICANO 0 X 1 FLAMENGO

Americano - Jéferson; Carlão, Élson e Anderson; Paulo Henrique, Siller (Kim), Renan, Diego Salles (Cafezinho) e Ernani; Éberson (Gil) e Kieza. Técnico: Toninho Andrade.

Flamengo - Bruno; Everton Silva, Fábio Luciano, Ronaldo Angelim e Juan; Willians, Kleberson (Maxi), Ibson (Fierro) e Leonardo Moura; Erick Flores (Jônatas) e Josiel. Técnico: Cuca.

Gol - Juan (pênalti), aos 41 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos - Renan, Diego Salles, Paulo Henrique e Ernani (Americano); Willians, Leonardo Moura, Juan, Ibson e Bruno (Flamengo).

Árbitro - Felipe Gomes da Silva.

Público - 8.100 pagantes.

Local - Estádio Godofredo Cruz, em Campos (RJ).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.