Pedro Martins / MoWA Press
Pedro Martins / MoWA Press

Com vaga na Copa, seleção envia estafe à Rússia para escolher CT em 2018

Coordenador de seleções da CBF, Edu Gaspar, será responsável por listar opções de hospedagem e locais de treinamento

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

29 de março de 2017 | 07h36

A classificação da seleção brasileira com quatro rodadas de antecedência para a Copa do Mundo de 2018 vai fazer o trabalho da comissão técnica se intensificar no planejamento da logística na Rússia, a sede do Mundial. O coordenador de seleções da CBF, Edu Gaspar, viaja para o país no domingo já para apresentar ao técnico Tite no retorno uma lista com opções de hospedagem e locais de treinamento.

O dirigente embarca junto com o preparador físico, Fábio Mahseredjian, e o supervisor da seleção, Luis Vivian. Os dois últimos já estiveram na Rússia em três ocasiões. "Eles fizeram muitos relatórios, visitaram muitos campos de treinamento. Vou lá para fazer o último filtro e trazer pouquíssimas opções para que a gente possa começar a pensar em uma boa estrutura, até em investimentos, se for necessário", disse Edu na madrugada desta quarta-feira.

Enquanto concedida entrevista na Arena Corinthians, após o Brasil bater o Paraguai por 3 a 0, Gaspar soube da vitória do Peru por 2 a 1 sobre o Uruguai, em Lima, resultado que classificou a seleção brasileira para o Mundial. "É muito especial saber dessa vaga na Copa, ainda mais aqui no estádio do Corinthians, clube onde comecei. O sonho de disputar uma Copa eu não realizei como jogador, mas vou participar agora", afirmou.

A seleção brasileira é a primeira do mundo a se classificar para a Copa da Rússia e quer fazer um planejamento detalhado das condições de hospedagem na Rússia. "É um mundo de detalhes. Preciso de uma cidade inicialmente com boa estrutura, mas não precisa ser tão grande, mas próxima de algum grande centro. É necessário contentar os familiares dos jogadores, que também vão estar lá", explicou Edu.

A Copa do Mundo da Rússia será disputada em 12 estádios de 11 cidades. Todas as sedes são na porção ocidental do país, ainda assim o Mundial terá jogos em quatro fusos horários diferentes. Para a competição, a Fifa oferece às federações nacionais um caderno com cerca de 70 opções de "base camps". Essas instalações contemplam a escolha casada de hotel para ser usado como concentração mais um campo para os treinos, geralmente localizado nos arredores. 

No último Mundial, no Brasil, foram 84 opções no caderno organizado pela Fifa. A Alemanha, por exemplo, foi a única a ter recusado as sugestões e a construir o próprio campo de treino, no litoral sul da Bahia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.