Raul Arboleda e Jeferson Guareze/AFP
Raul Arboleda e Jeferson Guareze/AFP

Com vaga nas quartas em disputa, Equador e Japão se enfrentam no Mineirão

Vencedor do confronto avança; empate garante Paraguai na próxima fase

Leandro Silveira, O Estado de S.Paulo

24 de junho de 2019 | 04h30

Em duelo que determinará o último classificado às quartas de final da Copa América, as seleções de Equador e Japão vão se enfrentar nesta segunda-feira, a partir das 20 horas, no Mineirão, estádio que será o palco do confronto entre uma equipe em crise e outra imprevisível, pela rodada final do Grupo C.

Após os resultados de domingo, quem vencer a partida entre Equador e Japão estará classificado às quartas de final como um dos dois melhores terceiros colocados. Mas o empate favorecerá o Paraguai, que somou dois pontos no Grupo B. Os outros sete participantes da próxima fase estão definidos e serão Brasil, Venezuela, Peru, Colômbia, Argentina, Chile e Uruguai.

Com duas derrotas, uma defesa vulnerável e um treinador que ficou sem palavras, o Equador parece ter tudo contra, a não ser os milagres do futebol e da matemática, que fizeram a equipe sonhar com a classificação, mesmo após ser goleada por 4 a 0 pelo Uruguai e perder por 2 a 1 para o Chile, um resultado que irritou o técnico Hernán Dario Gómez pelos erros em jogadas de bola parada.

Insatisfeito, o treinador não respondeu a perguntas na entrevista coletiva após o jogo, fazendo um monólogo de 45 segundos para explicar o resultado. E ampliou o seu retrospecto negativo na Copa América, com oito derrotas nos nove jogos em que dirigiu o Equador na competição. Além disso, pode estar revivendo 2004, quando a eliminação na primeira fase do torneio provocou a sua demissão.

Para o duelo com o Japão, ele vai sofrer com a ausência de seu capitão, o zagueiro Gabriel Achilier, que foi expulso no jogo contra o Chile, devendo ser substituído por Arreaga. Além disso, o volante Renato Ibarra, reclamando de dores no joelho, abandonou a concentração do Equador. "Estou convencido que o time vai melhorar e que os jogadores vão terminar o campeonato da melhor maneira", afirmou Gómez.

Adversário do Equador, o convidado Japão é imprevisível. A inexperiência - a maioria dos seus jogadores são sub-23 - a levou a ser goleada por 4 a 0 pelo bicampeão Chile na estreia, mas depois a equipe ficou duas vezes em vantagem no 2 a 2 com o Uruguai de Luis Suárez e Edinson Cavani, tendo dado muito trabalho ao adversário pela velocidade dos seus contra-ataques.

O técnico Hajime Moriyasu mudou quase metade da equipe após a estreia, o que levou a promessa Kubo, recém-contratado pelo Real Madrid, a perder sua vaga na seleção japonesa. Ele pode fazer seu retorno ao time nesta segunda. Já quem tem sua posição assegurada é o meia Koji Miyoshi, autor de dois gols contra a seleção do Uruguai.

"Acredito que o time que empatou com o Uruguai será a base da equipe que vai iniciar o jogo contra o Equador. Nossa meta é passar da fase de grupos. Sobre o Kubo, vamos definir se vamos escalá-lo ou não", disse o treinador japonês.

FICHA TÉCNICA:

EQUADOR X JAPÃO

EQUADOR - Domínguez; Velasco, Arreaga, Arboleda e Ramírez; Gruezo, Orejuela, Méndez, Romário Ibarra e Mena; Enner Valência. Técnico: Hernán Dario Gomez.

JAPÃO - Osaku; Iwata, Tomiyasu, Naomichi Ueda e Sugioka; Nakayama, Shibasaki, Nakajima, Kubo e Ito; Ayase Ueda. Técnico: Hajime Moriyasu.

ÁRBITRO - Jesús Valenzuela (Fifa/Venezuela).

HORÁRIO - 20 horas.

LOCAL - Mineirão, em Belo Horizonte (MG).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.