Bruno Cantini/Atlético-MG
Bruno Cantini/Atlético-MG

Com VAR protagonista, Atlético-MG e Boa ficam no 0 a 0 na 1ª semifinal

Time de Levir Culpi teve dois gols cancelados por conta do uso da tecnologia

Ricardo Magatti, especial para o Estado, Estadão Conteúdo

30 de março de 2019 | 20h14

Em jogo com grande participação do árbitro de vídeo, o VAR, Boa e Atlético-MG empataram sem gols na noite deste sábado, em Varginha, na primeira semifinal do Campeonato Mineiro. Sem o uso da tecnologia, o time alvinegro venceria o duelo, já que teve dois gols revisados e posteriormente anulados.

O árbitro de vídeo foi muito usado logo em sua primeira aparição na história do Campeonato Mineiro. A tecnologia foi solicitada em três lances: dois gols do Atlético e uma falta que culminou com a expulsão do volante Zé Welison.

Heber Roberto Lopes, que comandou o VAR, auxiliou o árbitro Rafael Traci na anulação do gol de Maicon, depois que viu que ele estava em impedimento na conclusão do rebote de chute de Ricardo Oliveira. Depois, o Atlético balançou as redes com Luan. O assistente levantou a bandeira, o juiz invalidou o gol, e, após a revisão com a ajuda do VAR, chegou a validar o tento, mas voltou atrás e anulou o lance em razão de novo impedimento de Maicon.

Melhor na partida, a equipe de Levir Culpi seguiu no ataque depois das frustrações de ter seus gols anulados e assustou o adversário com Cazares, que teve arremate de fora da área defendido por Renan Rocha. O Boa, armado para contra-atacar, quase marcou com Gustavo Henrique, em chute que desviou na defesa e passou perto do gol de Victor.

Na etapa final, Luan esteve perto de balançar as redes. O atacante acertou o travessão em finalização de fora da área e, no rebote do lance, parou no goleiro. O VAR voltou à cena aos 16 minutos para analisar falta de Zé Welison. Depois de ver que o volante deixou a sola do pé no joelho de Claudeci, o juiz expulsou o jogador atleticano.

Com um a menos, Levir Culpi recompôs o meio de campo ao colocar Lucas Cândido no lugar de Ricardo Oliveira e deu gás novo à equipe com as entradas de Elias e Geuvânio. O time, no entanto, diminuiu o ímpeto naturalmente e ficou satisfeito com o empate. Quase sofreu a derrota no último lance da partida em bomba de Alan que passou rente à trave de Victor.

Os dois times se reencontram para decidir quem vai à final do torneio estadual no próximo domingo, às 16 horas, no Mineirão. Quem vencer está na decisão e o empate é favorável ao Atlético, pois o time teve a melhor campanha da primeira fase. O futuro adversário do vencedor enfrentará Cruzeiro ou América na final.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.