Com vergonha, Mogi volta aos treinos

Vergonha. Essa é a melhor palavra para definir o semblante dos jogadores do Mogi Mirim na reapresentação do elenco nesta segunda-feira, após a goleada de 6 a 0, sofrida sábado, em Belém-PA, para o Remo."Horrível. Não jogamos nada e merecemos a derrota por goleada", disse o goleiro Marcelo Galvão. O técnico Luís Carlos Winck preferiu não achar culpados pelo resultado: "Não quero apontar esse ou aquele como culpado. Eu assumo a responsabilidade, afinal sou eu quem escalo o time". Ele falou ainda que não teme ser demitido do cargo. Como no Mogi Mirim quem toma as principais decisões é o presidente Wilson Fernandes de Barros, as mudanças, se é que vão acontecer, deverão ser conhecidas somente nesta terça-feira. O presidente do clube está viajando e só retorna à cidade na amanhã.O Mogi volta a jogar pela Série B do Brasileiro no próximo domingo, às 11 horas, quando recebe o União São João, no estádio Wilson Barros.

Agencia Estado,

07 de julho de 2003 | 19h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.