Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Com vice-governador, missa marca sétimo dia da tragédia no Ninho do Urubu

Cerimônia terminou com os nomes dos dez garotos mortos sendo citados em meio a uma salva de palmas

Marcio Dolzan, Estadão Conteúdo

15 de fevereiro de 2019 | 13h10

Os sete dias da tragédia que vitimou dez atletas das divisões de base do Flamengo no Ninho do Urubu foram lembrados na manhã desta sexta-feira, com uma missa na Igreja São Judas Tadeu, no Cosme Velho, zona sul do Rio. A cerimônia terminou com os nomes dos dez garotos mortos sendo citados em meio a uma salva de palmas.

O presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, participou do encontro. Chamado ao púlpito, ele disse que "nós do Flamengo vamos estar assumindo todas as responsabilidades que tiverem em relação a esse acidente". Ao final da missa, Landim mais uma vez saiu sem dar entrevistas.

O vice-governador do Rio, Cláudio Castro (PSC), também participou da cerimônia. "A gente, como poder público, quando chega numa situação daquelas (incêndio), tem três grandes funções: demonstrar solidariedade, se colocar a disposição e cobrar respostas a tudo o que aconteceu", comentou. Na sequência, ele elogiou a postura do clube por "abrir as portas" para a apuração do "infeliz acidente".

Na tarde desta sexta-feira, uma reunião na sede do Ministério Público do Rio servirá para apresentar conclusões de uma vistoria realizada no CT do Flamengo. A interdição do local não está descartada.

Além das dez mortes, o incêndio no Ninho do Urubu deixou três feridos. Dois deles - Cauan Emanuel e Francisco Dyogo - receberam alta hospitalar. Já Jhonata Ventura continua internado. Ele sofreu queimaduras em cerca de 35% do corpo, mas está acordado e atende a comandos simples.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.