Epitácio Pessoa/Estadão
Epitácio Pessoa/Estadão

Comemoração misteriosa de Pato pode ser jogada de marketing pessoal

Motivo de celebrar gols com a mão no rosto será 'revelado' no domingo, segundo atacante do Corinthians

Vítor Marques, O Estado de S.Paulo

13 de agosto de 2013 | 07h30

SÃO PAULO - O gesto com que Alexandre Pato comemora seus gols, o de colocar a palma das mãos sobre o rosto, simulando uma máscara, já foi símbolo da medalha de ouro dos 100m rasos do jamaicano Usain Bolt, em Londres, e foi usado como brincadeira entre os jogadores da seleção olímpica brasileira, incluindo Pato.

O agora jogador do Corinthians, que repetiu o gesto ao marcar o segundo gol do jogo contra o Vitória, afirmou ontem, que domingo vai relevar o motivo da comemoração misteriosa. “Não é nada muito sério.”

No clube, o tema é tido como sigiloso pela diretoria. Uma possibilidade é que se trata de jogada de marketing pessoal de Pato e do Corinthians, que adorou a repercussão que isso gerou, principalmente na internet. O primeiro gol que Pato comemorou no Corinthians repetindo o gesto de Bolt foi contra o Bahia, quando ele marcou os dois gols da vitória em Salvador. Ele repetiu isso contra o Atlético-PR e diante do Vitória, domingo.

Pato não confirma sequer que Usain Bolt é a inspiração nem o motivo pelo qual passou a celebrar seus gols dessa maneira. Nem o Corinthians. Quando a negociação foi fechada, Pato foi apresentado como mais um “locopositivo” e usou, em fotos para o site do clube, uma máscara com o escudo do time, em alusão à campanha “Epidemia Corinthiana”, iniciada às vésperas do Mundial de Clubes do Japão.

A encenação, pelo menos aquele que foi por Usain Bolt, se chama Gaza, e teria sido originada num gueto na Jamaica, popularizado pelo cantor Vybz Kartel, um dos nomes do dancehall, um ritmo que mistura reggae e música eletrônica. Kartel foi preso, acusado de assassinar um empresário do ramo musical.

Antes de revelar o motivo da comemoração, domingo, Alexandre Pato volta a campo amanhã contra o Fluminense, no Maracanã, pelo Brasileiro. Ele continua no lugar de Guerrero, que está na seleção peruana. Tite terá o retorno de Paulo André e também de Renato Augusto. Danilo deve ser poupado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.