Comer, rezar e torcer... para o time errado

Na vida real, o guia romano que acompanhou a americana em sua estadia em Roma em 2003 - e que inspirou o filme - é um fanático torcedor da Lazio, e não da Roma

Efe

16 de setembro de 2010 | 15h34

ROMA - Sucesso de bilheteria em todo o mundo, o filme "Comer, Rezar e Amar" vem sendo muito criticado por torcedores da Lazio, time romano que é um dos mais tradicionais da Itália.

O motivo é uma adaptação feita pelos roteiristas em relação à história verídica que deu origem a um best-seller e à película. Em bares, fóruns na internet e em rádios, a cada dia aumenta o protesto: como é possível que Hollywood tenha transformado um torcedor da equipe em um romanista, ou seja, fã do maior rival da Lazio?

Em "Comer, Rezar e Amar", Julia Roberts interpreta a escritora americana Elizabeth Gilbert, que após passar por um difícil divórcio, faz uma viagem por Itália, Índia e Indonésia em busca de um novo sentido para sua vida. Por sua vez, Javier Bardem é um brasileiro (Felipe) que vive em Bali e, também tendo passado recentemente por uma separação, encontra o amor em Elizabeth.

Na vida real, o guia romano que acompanhou a americana em sua estadia na Cidade Eterna, em 2003, é um fanático torcedor da Lazio, e levou a autora várias vezes ao Estádio Olímpico para assistir a jogos do time.

O tal homem, Luca Spaghetti, concedeu entrevista na quarta-feira ao jornal "La Stampa", contando ter sido apresentado a Elizabeth por um amigo.

"Ela ainda não era famosa. Chegou a Roma após um casamento que não terminou bem e durante quatro meses estive com ela e a levei para visitar Roma, locais turísticos, museus, restaurantes e, claro, partidas da Lazio", relatou.

"Assistimos a um jogo contra o Bologna e outro contra o Sparta Praga. Ela se divertiu muito e torceu pela minha equipe", acrescentou o "cicerone" de Elizabeth, que também escreveu um livro sobre a experiência: "You've got a friend. - Eat, Pray Love in Rome!" ("Voce tem um amigo. - Coma, reze e ame em Roma!" em tradução livre).

Spaghetti foi uma das primeiras pessoas que receberam um exemplar do livro de Elizabeth e também acompanhou a americana durante a rodagem de cenas do filme na capital italiana.

Como bom torcedor da Lazio, ele reconheceu que o fato de ter sido retratado no filme como um fã da Roma não o agradou "nem um pouco".

"Liz chegou a Roma e me pediu que a acompanhasse no set de filmagens, e lá vi que todos os figurantes vestiam camisas da Roma, e também (o ator que o interpretou, Luca) Argentero", contou.

Para ferir ainda mais seu orgulho, no filme há cenas da torcida da Roma comemorando um gol da equipe justamente contra a Lazio no grande clássico da capital.

Spaghetti disse que reclamou com veemência com os produtores, mas conseguiu apenas que Argentero usasse no filme, por poucos instantes, um cachecol da Lazio.

Como as reclamações não surtiram o efeito desejado, na internet alguns torcedores da equipe já iniciaram uma campanha: "come, reze, ame e leia o livro, mas não vá ao cinema".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolLaziocinemaComer, Rezar e Amar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.