Comercial pede investigação de jogos

Com a divulgação do escândalo da "Máfia do Apito", o Comercial, de Ribeirão Preto, se considera prejudicado e pediu à Federação Paulista de Futebol a investigação de dois jogos que disputou no último Campeonato Paulista da Série A2. A culpa recai sobre o acusado árbitro Edilson Pereira de Carvalho e também sobre Paulo José Danelon, que ainda está sendo investigado.Nesta segunda-feira, o presidente Santino Soares Júnior, viajou para São Paulo e foi à sede da Federação Paulista de Futebol (FPF) reclamar dos seguintes jogos: a primeira, apitada por Edilson Pereira de Carvalho, foi a estréia do clube na competição, quando foi derrotado por 1 a 0 pelo Araçatuba. Depois, num jogo contra o Juventus, válido pelo quadrangular final, que terminou empatado em 1 a 1, no Estádio Palma Travassos, o Comercial teria sido prejudicado por Paulo José Danelon. Na época, Santino Soares até levou uma fita com a gravação do jogo para o presidente da FPF, Marco Polo Del Nero, que não deu muita atenção ao episódio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.