Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Comissão da seleção brasileira minimiza efeitos de mudança climática na Copa

Da cidade serrana e fria de Teresópolis, equipe ruma para o calor de Fortaleza e Brasília

Almir Leite, Leandro Silveira e Sílvio Barsetti - Enviados especiais, O Estado de S. Paulo e Agência Estado

28 de maio de 2014 | 16h50

TERESÓPOLIS - Os membros da comissão técnica da seleção brasileira minimizaram nesta quarta-feira o contraste climático que deve ser enfrentado pelos jogadores nas próximas semanas. Enquanto a preparação da equipe está sendo feita em Teresópolis (RJ), conhecida pelas temperaturas baixas, com neblina e alta umidade relativa do ar, a equipe terá pela frente compromissos em cidades com clima quente, como Fortaleza, e seco, como Brasília, na primeira fase da Copa do Mundo.

O cardiologista da seleção brasileira, Serafim Borges, garantiu que a comissão técnica tem conhecimento da situação e já começou a trabalhar os jogadores para lidar com as mudanças bruscas de temperatura. "A gente conhece esse contraste", disse. "Os jogadores estão fazendo reposição vitamínica para recuperar a imunidade. Começou nesta quarta e vai até o final da competição", explicou.

Serafim destacou que a seleção brasileira é formada por jogadores que atuam em alto nível há alguns anos. Para ele, isso faz com que esses atletas possuam naturalmente mais resistência física. "Esses jogadores possuem lastro físico. O cidadão que não faz exercício sente mais. Os trabalhos de preparação física que os atletas fazem minimizam isso", disse.

Já o médico José Luiz Runco ressaltou que a estrutura da Granja Comary, definida por ele como de excelência, faz valer a pena os possíveis riscos que a mudança brusca de clima pode provocar nos jogadores. "A estrutura daqui não pode ser desprezada por um ou dois dias fora daqui", disse. "Temos que ter atenção na suplementação, mas isso não pode ser transformado em um fantasma", completou.

De qualquer forma, o frio deverá ser uma rotina na preparação da seleção brasileira para a Copa do Mundo, tanto que a previsão é de que as temperaturas baixem até os 6º C nos próximos dias em Teresópolis. Enquanto isso, a equipe enfrentará o Panamá, em amistoso na próxima terça-feira, na tradicionalmente quente Goiânia. Já na fase de grupos do Mundial, a equipe terá compromissos em Fortaleza, contra o México, no dia 17 de junho, e em Brasília, diante de Camarões, em duelos que devem ser marcados pelo calor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.