José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Comissão de ética abre investigação contra Aidar e Ataíde

Órgão do São Paulo analisa briga entre dirigentes e estuda punição

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

20 de outubro de 2015 | 15h30

A Comissão de Ética do São Paulo abriu na noite desta segunda-feira a apuração para investigar o caso da briga entre o ex-presidente Carlos Miguel Aidar e o vice-presidente de futebol Ataíde Gil Guerreiro em um hotel durante reunião da diretoria, há duas semanas. Os dois envolvidos terão 15 dias para apresentarem explicações e escaparem de possíveis punições internas, como até a expulsão do quadro de associados.

O presidente da Comissão de Ética, Wilton Brandão Parreira Filho, confirmou ao Estado que o órgão iniciou o trabalho de análise da briga entre os dirigentes. "Seguimos o Código de Processo Civil. A primeira parte é comunicar o representado, que terá até 15 dias para apresentar defesa prévia. Depois, vamos ouvir individualmente os envolvidos para mais informações", explicou.

A Comissão tem além do presidente, mais quatro membros: Antonio Luiz Belardo, Renato de Albuquerque Ricardo, Mário Lourenço e José Moreira. Segundo Parreira Filho, ainda é cedo prever quais punições os dois podem sofrer. O ofício que motivou a abertura da apuração partiu da assinatura de oito conselheiros, que questionam o mau comportamento dos dirigentes durante reunião da diretoria.

A representação contra Aidar e Ataíde se baseia no estatuto do São Paulo. No artigo 34, o texto fala de expulsão do quadro de associados quem tiver mau comportamento em locais como "as dependências do clube consideradas estas, por extensão, os centros de treinamento e outras assemelhadas, ou como representante deste em qualquer local".

O desentendimento entre os dois no dia 5 de outubro iniciou a troca de comando no clube. Ataíde foi exonerado, mas já retornou ao cargo depois de Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, assumir a presidência na vaga de Aidar. O antigo mandatário renunciou ao cargo na última terça-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.