Fredy Builes/Reuters
Fredy Builes/Reuters

Comissária sobrevivente do voo da Chapecoense ainda tem pesadelos com acidente

Ximena Suárez disse que não está recebendo salários e passa por problemas financeiros

O Estado de S.Paulo

06 de março de 2017 | 09h33

O pesadelo do voo da LaMia, que vitimou 71 pessoas, entre jornalistas brasileiros e a maior parte do time da Chapecoense, ainda não terminou. A comissária de bordo Ximena Suárez, uma das sobreviventes da queda da aeronave em Medellín, em novembro do ano passado, admitiu ao Fantástico, da Rede Globo,  ter pesadelos com o acidente, não dorme direito e passa por dificuldades financeiras. Ela não recebe salários desde então e tem de pedir ajudar para os mais próximos para viver.

"Ainda tenho pesadelos e só consigo dormir com remédios. Me levanto de madrugada e sinto como se tivesse alguém do meu lado", diz. Antes mesmo do acidente que levava a equipe do clube brasileiro para a final da Copa Sul-Americana, a companhia aérea não paga salários para seus funcionários. Estava em débito havia três meses. Ximena passou por cirurgias após o acidente - ela foi uma das sobreviventes e passa por uma fazer de estresse pós-traumático. De acordo com suas declarações, ela ainda precisa passar por duas cirurgias, uma no nariz e outra no tornozelo. Faz fisioterapia e passa regularmente por um psiquiatra.

A aeromoça é uma das seis sobreviventes do voo da LaMia. Ela também gostaria de receber as indenizações pela queda do avião. De acordo com as investigações, o avião voava com sobrecarga e com pouco combustível, o que teria provocado o acidente.  

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.