Arnd Wiegmann/Reuters
Arnd Wiegmann/Reuters

Conmebol se reúne e discute romper contratos investigados

Comitê Executivo da entidade abordou assunto nesta sexta-feira

Estadão Conteúdo

16 de outubro de 2015 | 20h28

A Conmebol vai decidir nos próximos dias o futuro dos contratos para a Copa América Centenário ainda em vigor com empresas acusadas nos Estados Unidos de fazerem parte do caso de corrupção na Fifa. Nesta sexta-feira, o Comitê Executivo da entidade se reuniu em Santiago (Chile) e discutiu o futuro do torneio, envolto no escândalo.

"Muito logo teremos notícias sobre isso. Os advogados estão tratando deste tema e estão negociando isso. Nesta reunião se disse muito sobre isso, se falou sobre a Copa América Centenário porque a Copa América Centenário depende muito disso", explicou o presidente da Conmebol, Juan Ángel Napout.

Diversas das empresas que têm contratos relativos à Copa América comemorativa dos 100 anos da Conmebol, no ano que vem, nos EUA, estão entre as investigadas pela Justiça norte-americana. Além disso, vários dirigentes da entidade sul-americana são acusados de receber propina pela venda de direitos relativos à Copa América.

Dois dos acusados são ex-presidentes da Conmebol: o paraguaio Nicolás Leoz, em prisão domiciliar em Assunção (Paraguai), e o uruguaio Eugenio Figueredo, encarcerado na Suíça. Ambos aguardam extradição para os EUA.

"A Conmebol está mudada. É diferente. Tem um auditoria interna, externa, ''compliance'', com elementos de controle mais poderosos", garante Napout. "Estamos com reformas profundas e mirando o futuro", completou o chileno, que reafirmou que a Conmebol apoia o francês Michel Platini na eleição da Fifa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.