COB/Divulgação
COB/Divulgação

COB amplia premiação e concede Prêmio Brasil Olímpico para seis treinadores

Comitê Olímpico Brasileiro geralmente premia apenas dois técnicos, sendo um dos jogos coletivos e outro, do individual

Redação, O Estado de S.Paulo

30 de novembro de 2021 | 14h05

No embalo da melhor campanha conquistada pelo Brasil na história das Olimpíadas em Tóquio, o Comitê Olímpico do Brasil (COB) decidiu ampliar a premiação aos treinadores. Nesta terça-feira, a entidade anunciou que escolheu seis técnicos para receber o Prêmio Brasil Olímpico deste ano.

Os vencedores são André Jardine, representando as modalidades coletivas, e Fernando Possenti, Francisco Porath, Javier Torres, Lauro Souza e Mateus Alves, pelos esportes individuais. Geralmente, o COB concede o prêmio para dois treinadores, sendo um dos jogos coletivos e outro, do individual.

"Esse prêmio visa valorizar o excelente trabalho dos nossos treinadores nessa edição olímpica. Em virtude do resultado histórico que o Brasil obteve e as expressivas conquistas, fruto de muito trabalho, competência e qualidade na preparação dos atletas, o COB não poderia tomar outra atitude a não ser reconhecer todos estes profissionais. São treinadores que tiveram conquistas de extrema relevância no mundo olímpico e o controle sobre todo o processo de preparação, mesmo diante das adversidades", explicou o diretor de esportes do COB, Jorge Bichara.

Jardine levou o prêmio por liderar a seleção brasileira masculina de futebol na conquista do bicampeonato olímpico na capital japonesa. Possenti comanda as maratonas aquáticas, que trouxe o ouro ao Brasil com Ana Marcela Cunha. Porath é o responsável pela ginástica artística, modalidade em que Rebeca Andrade subiu duas vezes ao pódio. Javier Torres, por sua vez, lidera a vela, na qual Martine Grael e Kahena Kunze brilharam novamente, com o bicampeonato na classe 49er FX.

Já Lauro Souza foi premiado pelo trabalho na canoagem velocidade com Isaquias Queiroz, medalhista de ouro na prova de C1 1000m. E Mateus Alves foi reconhecido pela grande participação brasileira no boxe, com três medalhas: Hebert Conceição (ouro), Beatriz Ferreira (prata) e Abner Teixeira (bronze).

"Através dos campeões olímpicos, o COB gostaria de reconhecer o trabalho de todos os treinadores que prepararam atletas para representar o Brasil nos Jogos Olímpicos, gostaríamos que todos se sentissem reconhecidos e valorizados", afirmou Bichara.

O prêmio será entregue a cada treinador em cerimônia marcada para 7 de dezembro, no Teatro Tobias Barreto, em Aracaju. O ponto alto do evento será o anúncio dos vencedores do troféu Melhor Atleta do Ano do Prêmio Brasil Olímpico. No feminino, as candidatas são Ana Marcela Cunha, Rayssa Leal (skate) e Rebeca Andrade. No masculino, concorrem Hebert Conceição, Isaquias Queiroz e Italo Ferreira (surfe).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.