Divulgação/Conmebol
Divulgação/Conmebol

Comitê organizador da Copa América de 2019 é lançado com Cafu e Branco

Conmebol oficializou nesta sexta o início dos trabalhos do comitê local do torneio será disputado no Brasil

Estadão Conteúdo

23 de fevereiro de 2018 | 14h58

A Conmebol oficializou nesta sexta-feira, em reunião realizada em Punta del Este, no Uruguai, o início dos trabalhos do Comitê Organizador Local (COL) da Copa América de 2019, que acontecerá no Brasil. Além de três dirigentes da CBF, o órgão contará com a participação de dois ex-jogadores: os ex-laterais da seleção brasileira Branco e Cafu.

Conmebol confirma Libertadores com final única e maior premiação em 2019

Além dos ex-atletas, o COL será gerido por um conselho de administração, formado pelo presidente em exercício da CBF, Antônio Carlos Nunes de Lima, o Coronel Nunes; o vice-presidente da entidade, Fernando Sarney, que presidirá o conselho; e o diretor executivo de gestão da CBF, Rogério Caboclo, que será o CEO.

"Entramos agora num período de trabalho acelerado para realizar a melhor Copa América da história, que fechará um ciclo de eventos esportivos no País. Aproveitando a experiência do Cafu, do Branco e dos profissionais do COL, certamente estaremos preparados para receber as nações latino-americanas e demais países convidados", declarou Sarney.

Branco e Cafu têm longa história com a camisa da seleção brasileira e participaram da campanha do tetracampeonato mundial em 1994, nos Estados Unidos. Eles também possuem títulos de Copa América pelo País. Branco foi campeão em 1989, na última vez que o torneio foi realizado no Brasil, enquanto Cafu ganhou em 1997 e 1999.

Agora, eles participarão da organização da competição continental, mais um grande evento esportivo no País, que recebeu a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada de 2016. "É um orgulho darmos início aos preparativos para realizar uma Copa América inesquecível, em um País que traz a experiência recente de organizar grandes eventos esportivos. A Conmebol vive um novo momento e temos certeza que será uma competição histórica, que volta ao Brasil após 30 anos", comentou o presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez.

Além de oficializar o início de trabalho do COL, a reunião serviu para discussão de diversos aspectos do torneio, que será realizado no Brasil pela quinta vez, seguindo os exemplos de 1919, 1922, 1949 e 1989.

"Apresentamos o projeto e aprovamos os aspectos gerais da competição, que será realizada de 14 de junho a 7 de julho. Nas próximas semanas, haverá novas definições, como as cidades sedes e as seleções participantes. O Brasil conta com estruturas esportivas qualificadas, que estão passando por vistorias para que a Conmebol e o COL possam tomar essas decisões, que serão informadas tão logo seja possível", disse Rogério Caboclo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.