Mauro Pimentel/Estadão
Mauro Pimentel/Estadão

Comitê Rio/2016 procura MP para evitar problemas com vendas de ingressos

Carlos Arthur Nuzman afirma que recorreu ao Ministério Público para evitar ocorridos semelhantes aos da Copa do Mundo de 2014

RONALD LINCOLN JR., O Estado de S. Paulo

15 de janeiro de 2015 | 12h45

O Comitê Rio/2016 revelou estar tomando medidas para evitar irregularidades na venda de ingressos para os Jogos Olímpicos, como ocorreu na Copa do Mundo de 2014. Nesta quinta-feira, a entidade deu início ao processo de cadastramento de interessados em adquirir bilhetes para as competições olímpicas.

Durante a Copa do Mundo de 2014, a polícia do Rio prendeu um grupo, de brasileiros e estrangeiros, acusado de negociar ilegalmente ingressos para os jogos da competição. Para não correr risco de sofrer ações judiciais na venda de bilhetes, o Comitê organizador da Olimpíada entrou em contato previamente com o Ministério Público (MP) estadual do Rio.

"Nós tivemos o cuidado de levar o sistema para avaliação do Ministério Público. Pelos fatos que antecederam, nós queremos que as vendas ocorram da melhor forma possível e que o sistema seja aberto e transparente", revelou o presidente do Comitê Rio/2016, Carlos Arthur Nuzman.

Isso não quer dizer que não haverá fiscalização durante o evento. "Ninguém pode dizer que não terão outras ações (das autoridades). Nós procuramos o MP, sim, para poder diminuir os riscos e os problemas. É uma vontade de acertar. Mas não queremos influenciar para que não haja outras ações", afirmou o dirigente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.