Lucas Figueiredo/CBF
Lucas Figueiredo/CBF

Comitiva da CBF chega à Rússia momentos depois de explosão: 'Está tudo bem', diz Edu Gaspar

Em São Petersburgo morreram ao menos dez pessoas; comissão técnica da seleção está em Moscou

Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

03 de abril de 2017 | 10h36

Liderados pelo coordenador de seleções da CBF, Edu Gaspar, integrantes da comissão técnica da seleção brasileira desembarcaram nesta segunda-feira na Rússia para visitar opções de hospedagem e locais de treinamento que o Brasil usará durante a Copa do Mundo de 2018. O país está sob forte tensão depois que uma explosão no metrô de São Petersburgo, nesta segunda-feira, deixou ao menos dez mortos e uma quantidade ainda indeterminada de feridos segundo informações preliminares.

A delegação da CBF está na capital Moscou, cidade 700 quilômetros distante de São Petersburgo. "Acabamos de chegar em Moscou. Por aqui está tudo bem", disse ao Estado o preparador físico Fábio Mahseredjian.

Segundo Edu, antes mesmo de tomarem conhecimento da explosão no metrô de São Petersburgo já estava definido que os integrantes da comitiva da CBF não iriam à cidade. "Não está previsto. Estamos em Moscou, está tudo bem. ", afirmou Edu ao Estado.

Essa é a quarta ida de representantes da CBF ao país-sede do Mundial. Nas viagens anteriores, os integrantes da comissão técnica tinham se interessado pelo centro de treinamento do Zenit St. Petersburg, em São Petersburgo, na região norte do país. O local, no entanto, foi reservado antecipadamente pelos Estados Unidos e há mais outros quatro países na fila de espera.

Assim, Sochi, localizada no sul do país, à beira do Mar Negro, ganhou a preferência da comissão técnica da seleção. A cidade recebeu os Jogos Olímpicos de Inverno em 2014 e possui ampla rede hoteleira. Nos meses de junho e julho, a temperatura média da cidade fica em torno de 25 graus Celsius.

Tudo o que sabemos sobre:
CBFFutebolCopa do Mundo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.