Sebastião Moreira/EFE
Sebastião Moreira/EFE

Comitiva da Fifa analisa e aprova gramado da Arena Corinthians

Campo foi replantado e há apenas duas semanas foi instalada uma máquina que resfria raízes

Paulo Favero, Agência Estado

20 de janeiro de 2014 | 18h21

SÃO PAULO - Nesta segunda-feira, durante visita da comitiva da Fifa no Itaquerão, o gramado do estádio chamou a atenção. Jérôme Valcke, secretário-geral da Fifa, Aldo Rebelo, ministro dos Esportes, Nádia Campeão, vice-prefeita de São Paulo e coordenadora do SPCopa, Andrés Sanchez, ex-presidente do Corinthians e responsável pelas obras, além de Cafu e Bebeto, ex-jogadores da seleção, pisaram no campo e conversaram por alguns minutos sobre o assunto.

Existia uma preocupação de que o gramado não estivesse em boas condições, mas ele foi mais uma vez aprovado. "O gramado está ótimo e não temos de nos preocupar em limitar o número de jogos. Está perfeito para acolher as partidas", explicou Valcke. Recentemente, todo o campo foi replantado e há duas semanas foi instalada a máquina que faz o resfriamento das raízes. A situação chegou a ser um pouco preocupante antes, em dezembro, e por causa do calor na cidade funcionários tiveram de jogar gelo e água no campo, para evitar a morte da grama.

O gramado do Itaquerão é visto como especial pelo ex-presidente Andrés Sanchez, que atualmente é responsável pelas obras do estádio. O dirigente sempre confessou que pretende ter o melhor campo do mundo e para isso foi escolhida uma grama de inverno, que passa uma imagem melhor na televisão e é mais verde que outros tipos de gramas mais comuns em países tropicais. Durante a visita da Fifa, o dirigente ficou irritado com uma pergunta sobre o gramado para o ex-jogador Bebeto e gritou de longe: "O gramado está uma m..."

A pressão da Fifa para que os gramados sejam o ponto alto da Copa é nítida. No Mundial da África do Sul, em 2010, muitas placas se soltaram do campo, passando uma imagem ruim. Na Copa das Confederações no ano passado, alguns campos também foram reprovados, como o Mané Garrincha, em Brasília, e a Arena Pernambuco, em Recife.

Ricardo Trade, homem-forte do Comitê Organizador Local, garante que o Itaquerão passará no teste. "Não tenho qualquer preocupação com esse gramado, ele ficará ótimo", avisou. Já Bebeto, por sua vez, garantiu que logo que a grama crescer o campo ficará ideal. "Parece que houve um problema com a máquina de resfriamento, mas isso já está sendo resolvido. Em abril, vocês vão ver que esse gramado vai estar um tapete."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.