Maurizio Degl' Innocenti/EFE
Maurizio Degl' Innocenti/EFE

Comparado com atacante dos anos 90, Immobile diz sonhar com a Copa

Na pré-lista de Cesare Prandelli, italiano de 24 anos concorre com vaga com grandes nomes

Agência Estado

21 de maio de 2014 | 12h48

CONVERCIANO - Em 1990, Salvatore Schillaci desandou a marcar gols pela Juventus, foi convocado pela primeira vez para a seleção italiana, estreou na Copa entrando no segundo tempo e marcando um gol depois de dois minutos em campo e terminou o torneio como artilheiro geral, com seis gols. Não demorou para que Totò virasse um ídolo nacional.

Vinte e quatro anos depois, a Itália quer reviver essa história e confia em Ciro Immobile. Aos 24 anos, ele fez uma temporada espetacular pelo Torino, marcando 22 gols em 33 jogos. Assim, ganhou uma chance na seleção italiana no amistoso de março contra a Espanha, foi bem, e agora está perto de disputar a Copa.

Pelos gols, deixou de fora da lista de convocados nomes como Gillardino e Luca Toni. Mas o grupo italiano ainda tem 30 jogadores e sete precisam ser cortados por Cesare Prandelli até o dia 2 de junho. Como são sete atacantes no elenco, pelo menos dois devem ficar fora do Mundial.

Para ir à primeira Copa, Immobile confia na sua dedicação dentro de campo. "Vou dar 200%. Eu quero mostrar que o que fiz no Italiano não foi acaso. Dos sete atacantes, meu nível pode até ser o menor de todos, mas fisicamente posso conquistar meu espaço", comentou o jogador, que tem a concorrência de Cassano (do Parma), Cerci (Torino), Detro (Roma, Insigne (Napoli) e Giuseppe Rossi (Fiorentina) por quatro vagas. Balotelli é nome certo na lista final.

A cabeça de Immobile, porém, parece a mil. No fim de semana, quando a seleção italiana terá três dias de folga, ele vai se casar com a namorada, com quem já tem uma filha. Além disso, o interesse do Borussia Dortmund mexe com ele.

"O título de revelação do Italiano me deu visibilidade internacional e posso dizer que o Borussia é um time importantíssimo. Sou muito ambicioso e jogar a Liga ds Campeões seria fantástico e importante para o meu crescimento. Falei com alguns amigos que jogam na Alemanha e ouvi que o Alemão. A língua é um pouco difícil, mas nós napolitanos nos fazemos entender sempre", brincou.

Immobile tem seus direitos econômicos divididos entre Juventus e Torino e especula-se que os clubes queiram 10 milhões de euros cada um para fazer negócio. O Borussia busca um centroavante para o lugar de Lewandowski, que vai para o Bayern de Munique na próxima temporada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.