Completa e confiante, Ponte Preta quer pontuar no Morumbi contra o São Paulo

Eduardo Baptista espera conquistar o meio número de pontos na reta final

Estadão Conteúdo

22 Outubro 2016 | 09h00

Mesmo com poucas chances de chegar a uma vaga na Copa Libertadores em 2017, a Ponte Preta promete buscar o maior número de pontos possíveis nas últimas sete rodadas do Campeonato Brasileiro. Naturalmente isso inclui o confronto contra o São Paulo, neste sábado, às 17 horas, no estádio do Morumbi, na capital paulista, pela 32.ª rodada. O objetivo é buscar a terceira vitória seguida.

Os triunfos em Campinas (SP) diante do Vitória, por 2 a 0, e Santa Cruz, por 3 a 0, devolveram ao time campineiro a confiança perdida a partir da eliminação da Copa do Brasil. A Ponte Preta caiu diante do Atlético Mineiro com dois empates e deixou a competição de forma invicta. O abalo psicológico se agravou com três derrotas seguidas para Atlético Paranaense, Atlético Mineiro e Cruzeiro.

Agora tudo mudou. Com 45 pontos, em 10.º lugar, a Ponte Preta mira atingir primeiro os mesmos 51 pontos do ano passado, melhor campanha dentro da era dos pontos corridos. Depois pretende pontuar à espera de uma chance de entrar no G6, que pode até virar G7 desde que o campeão da Copa do Brasil esteja entre os seis primeiros colocados.

A confiança também é reforçada pelo fato da comissão técnica contar com todo o elenco, inclusive com o atacante William Pottker, vice-artilheiro do Brasileirão, com 11 gols. Mesmo assim, ele continua no banco de reservas, entrando durante o jogo. Ele tinha sido suspenso por quatro jogos por expulsão diante do Atlético Paranaense, mas o departamento jurídico diminuiu, na última quinta-feira, para apenas um jogo - já cumprido.

O técnico Eduardo Baptista acha que agora é importante motivar os jogadores. Para ele "o jogo é especial para o treinador e também para o time atuar no Morumbi, um estádio emblemático e contra um grande clube. A gente trabalha no dia-a-dia para jogar em duelos como este. A Ponte Preta está numa condição boa e capaz de disputar os pontos de igual para igual".

O time está definido, mas mantido em sigilo. "Esta semana foi de recuperação, com a diminuição da carga física. Temos objetivos ainda vivos e temos que buscar. Não podemos abaixar a guarda", disse o técnico ao completar que "todo mundo está consciente para buscar um bom resultado".

Exceção à volta do zagueiro Fábio Ferreira, que cumpriu suspensão automática e entra no lugar de Douglas Grolli, o time será o mesmo que venceu o Santa Cruz, na rodada anterior. O meia Thiago Galhardo fica como opção ofensiva para o segundo tempo, além dos perigosos atacantes William Pottker e Felipe Azevedo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.